Vila Pavão mobiliza sociedade e reforça medidas de combate ao coronavirus

92

Na noite da última sexta-feira (12), Vila Pavão foi classificado como município em risco alto no  Mapa de Gestão da Covid-19 do governo do Espírito Santo. Isso pede medidas imediatas e restritivas, para a diminuição do contágio e preservação de vidas.

O crescimento no número de casos nos últimos dias, não só em Vila Pavão, mas na maioria absoluta dos municípios capixabas e do país, provocou uma movimentação intensa em todos os setores da Administração Municipal.

No primeiro dia deste mês, após o município deixar a classificação de risco baixo para risco moderado, o prefeito Uelikson Boone, o Bolinha e o Centro de Operações em Emergências em Saúde (COE) e Sistema de Comando em Operações (SCO), órgãos vinculados à Secretaria Municipal de Saúde, haviam se reunido para adotar novas estratégias e tratar das ações de enfrentamento da COVID-19 no município.

Na última sexta-feira, pela manhã, já prevendo que o município seria integrado ao grupo de risco alto, o prefeito voltou a se reunir com os profissionais da saúde que atuam no combate à doença para estabelecer novas estratégias num possível cenário de risco alto de contaminação.

“Nessa reunião ficou definido que iríamos elaborar um novo decreto municipal com medidas qualificativas em consonância com com os decretos e portarias do Governo do Estado, porém, com medidas adaptadas à nossa realidade”, afirmou o prefeito.

Reunião com líderes religiosos e comerciantes 

Percebendo a gravidade da situação, Bolinha resolveu convocar líderes das igrejas, representantes dos comerciantes e dos setores organizados da sociedade civil no intuito buscar apoio para o combate da doença, bem como, ouvir a opinião deles para a partir daí, obter subsídios para elaboração de um Decreto Municipal que deverá ser anunciado amanhã no período da tarde.

“ficou decidido que não iremos afrouxar em nada as restrições contidas no decreto estadual, pelo contrário, em algumas situações iremos apertar um pouco mais”, destacou o prefeito.

Equipe de Fiscalização Municipal

Da discussão com representantes da sociedade foram acatadas algumas ideias que serão efetivadas pelo Governo Municipal,  como por exemplo, a criação de uma equipe específica de fiscalização para atuar na sede, distritos e patrimônios do interior, levando a nova regulamentação e informações sobre a gravidade do momento atual, além de conscientizar a população sobre os cuidados básicos de prevenção ao coronavírus, como uso de máscara, distanciamento social e higienização das mãos.

Volta das barreiras sanitárias 

Com a entrada da cidade no grupo de risco alto, barreiras sanitárias nos acessos ao município, a fim de diminuir a disseminação do coronavírus na cidade e o uso obrigatório e contínuo de máscara são algumas medidas que deverão ser implementadas nesta segunda-feira (15). Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, enquanto persistir a situação de risco alto na cidade, a Equipe de Fiscalização Municipal criada, estará abordando as pessoas que estiverem sem máscara nos espaços públicos e as alertando sobre a obrigatoriedade do uso do acessório.

Depois de ter ouvido as lideranças religiosas e os representantes dos comerciantes, Bolinha voltará a se reunir manhã de manhã, com o COE para acertar os últimos detalhes do decreto com as novas medidas de restrição. Em seguida se reunirá com sua equipe de secretários para planejar as ações, e na parte da tarde com os Agentes Comunitários de Saúde, que segundo o mandatário, serão parceiros importantes na tarefa de informar, conscientizar e colocar a população a par das novas medidas decretadas.

“Se não cuidarmos disso urgentemente, corremos o risco de cair numa situação de risco extremo, aí, medidas muito mais amargas terão que ser tomadas, sem contar que o nosso sistema de saúde que já está no limite e poderá entrar em colapso”, alertou Bolinha.

Videoconferência com o Governador Renato Casagrande

Em videoconferência no fim da manhã de ontem com o governador Renato Casagrande, Bolinha enfatizou que ficou claro a gravidade da situação em todo o estado do Espírito Santo. Dos 78 municípios, 17 estão em risco alto e 61 em risco moderado. Não existem mais municípios em risco baixo. No momento, 84% dos leitos de UTI do estado estão ocupados.

“Na videoconferência, o governador alertou: se estado atingir 90%, de ocupação dos leitos, automaticamente terá que decretar um lockdown no estado, por isso, está propondo um força tarefa com a participação de todos os prefeitos, através de ações coordenadas para tentar controlar a situação, evitando assim, que o estado tenha que decretar tal medida, o que seria muito mais prejudicial a todos os setores da  sociedade”, destacou o prefeito.

Fonte: Vila Notícias