Vereadores comprometido com o povo criam CPI do lixo em Barra de São Francisco

431
Carlin da Dengue, Lula Cozer e Juvenal Calixto está do lado do povo
Carlin da Dengue, Lula Cozer e Juvenal Calixto está do lado do povo

A Câmara Municipal de Barra de São Francisco resolveu comprar “briga” para desvendar a realidade do contrato firmado entre a Prefeitura Municipal de Barra de São Francisco e as empresas Libra e Ambiental. Na sessão ordinária desta segunda feira, 09/03/2015, foi feita a leitura do requerimento de CPI para investigar os contratos.

O requerimento foi lido e despachado para a Comissão de Justiça, estando o mesmo assinado pelos vereadores José Valdeci, Lula Cozer, Carlinho da Dengue, Juvenal Calixto e Valézio Armani.

Surpresa para muitos foi o fato do requerimento não contar com a assinatura do vereador Jessui da Cesan, justamente ele que por diversas vezes usou a tribuna da câmara municipal para cobrar uma posição por parte da prefeitura e das empresas prestadoras de serviços.

Jessui da Cesan ultimamente tem agido com boné de dois bicos, não sabe onde fica e vive pulando de um lado a outro. Esta atitude de Jessui tem lhe causado desgaste político, pois de acordo com os bastidores da política o vereador tem de ter lado político e sua imagem começa a ficar aranhada perante a sociedade, principalmente entre os eleitores.

Zé Valdeci e Valézio Armani também querem moralidade
Zé Valdeci e Valézio Armani também querem moralidade

Ainda na sessão de desta segunda foram aprovadas as convocações do proprietário das empresas Libra e Ambiental e dos contadores e tesoureiro da prefeitura de Barra de São Francisco para esclarecer sobre os pagamentos feitos a essas empresas.

Levantamentos feitos no portal transparência da prefeitura francisquense demonstram que a prefeitura não fez nenhum pagamento a Ambiental neste ano de 2015, agora, com as convocações os vereadores saberão quem está falando a verdade, se o prefeito que fala que paga regularmente ou a empresa que fala que não tem recebido e por isso não paga aos seus funcionários.

No que depender de alguns vereadores a cidade vai permanecer “emporcalhada” de lixo, pois quando se espera uma ação firme por parte dos vereadores a maioria pula fora e preferem se submeter as ordens do “ditador”, que ocupa eventualmente a cadeira de prefeito do município.