Universitário é morto por assaltantes na Praia do Morro, em Guarapari

558

11Um estudante de Educação Física morreu no início da noite deste domingo (23) vítima de um possível assalto no calçadão da Praia do Morro, em Guarapari. Paulo Silva Lopes, de 27 anos, morava em Guarapari e estudava na Faculdade Pitágoras. Ele estava caminhando no calçadão da praia e ouvindo música no celular, quando foi abordado por dois rapazes em uma motocicleta. O motorista tinha camisa listrada e o carona usava camisa branca.

Paulo teria tentado fugir correndo e foi baleado no tórax. O crime aconteceu por volta das 18 horas. A polícia trabalha com a possibilidade de latrocínio, mas o delegado de plantão no Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) de Guarapari, Jeferson Wagner Gomes da Silva, afirma que outras linhas de investigação também serão seguidas, já que os bandidos deixaram o celular de Paulo caído no local do crime.

“Vamos instaurar inquérito e investigar o caso e a autoria. Não se tem certeza que foi latrocínio. Essa é a percepção que se tem vendo o vídeo, mas o celular da vítima ficou caído no chão e não foi levado”, relata o delegado.
Videomonitoramento

A Polícia Militar conseguiu as imagens do assalto em um prédio próximo do local do assalto. Isso porque, a câmera de videomonitoramento da prefeitura que existe no final da Praia do Morro, ainda não está funcionando.
Segundo as imagens, um dos assaltantes saltou da moto, empurrou o estudante em um muro, na tentativa de assalto. Paulo não entregou os pertences e correu.

O estudante então caiu no calçadão da praia, onde foi socorrido por uma equipe do Samu. De acordo com os socorristas, ele teve uma parada cardíaca, e foi reanimado. Ele foi encaminhado para o Hospital Antônio Bezerra de Farias, em Vila Velha, mas faleceu antes de chegar ao local, e foi então levado para o Pronto-Atendimento de Guarapari.

Para a família do estudante, Paulo não teria reagido ao assalto, mas provavelmente se assutado com a abordagem dos bandidos.
O corpo de Paulo vai ser velado nesta segunda. Até o final da noite o local ainda não havia sido definido. (Com informações de Wilcler Lopes, do Portal 27).
Entrevista 
“Ele pode ter se assustado” 

Irmão de Paulo, Fabio Silva Lopes acredita que o irmão se assustou com a abordagem.

Como a família recebeu a notícia do crime?

Ele estava no calçadão da Praia do Morro. Muitas pessoas estavam caminhando e um ex-colega de trabalho viu a aglomeração e o reconheceu e me ligou. Foi horrível, a pior notícia que eu podia ter recebido.
Ele tinha inimigos, alguém que poderia ter encomendado o crime?
Não, nunca. Não tinha ninguém que tinha raiva dele, era um rapaz cheio de amigos.

Então ele pode ter reagido ao assalto?

Não acredito, ele era um estudante, tranquilo. Talvez a reação foi de susto, ele não reagiria nunca a um assalto.

Fonte: Gazetaonline