Tradição das hortas caseiras está desaparecendo em Barra de São Francisco

813

Todos os dias, mal o sol desponta, dona Terezinha e o marido abrem a porta da cozinha e vão aguar as plantas da sua horta caseira, no bairro Vila Vicente. Hortelã há dois anos, dona Terezinha conta que desde que começou a plantar se encantou com a atividade. “Além de consumir uma verdura fresquinha, a gente vende uma parte e até doa para quem não tem como comprar”, ressalta.

Assim como dona Terezinha, várias pessoas cultivam hortas no bairro Vila Vicente, mas a prática vem sendo esquecida na maior parte da cidade. Hoje é difícil encontrar uma boa horta nos quintais. As pessoas estão preferindo comprar seus alimentos nos supermercados e feiras, mesmo tendo espaço para plantar.

Para o empresário Jaconias Gervásio e sua esposa, Wandeleia Binow, plantar e colher as próprias verduras é uma prática de vários anos, mas eles não têm uma horta “comum”. Provando que, quando se quer tudo é possível, Jaconias e Wanderleia decidiram usar o terraço para construir sua horta. “A gente não compra mais verdura como cebolinha, salsa, coentro, couve. Temos até alface, tomate e muitas ervas medicinais aqui no terraço”, mostra Wanderleia.

Para Jaconias o terraço é como se fosse uma pequena roça. “Temos verduras, tomates, criação de codorna e até um fogão a lenha”, comemora.

Para quem deseja montar uma horta caseira, uma boa dica é procurar o Incaper, que possui técnicos preparados para instruir qualquer um na horticultura. Mas para quem não quer se dar ao trabalho de procurar o Incaper, a reportagem pesquisou algumas dicas para você montar sua horta sem muito sacrifício.

Dicas para montar sua horta caseira  

Para programar uma horta, nem é preciso dispor de espaço. No parapeito de uma janela dá para enfileirar pás, daquelas antigas, para cereal, com ervas e temperos, como, capuchinha, sálvia, manjericão, cebolinha, bálsamo e alecrim. O trato é simples: Bastam quatro horas diárias de sol e regas todos os dias para que se desenvolvam. A dica antes de plantá-las na pá para cereal ou em qualquer outro recipiente é fazer um furo no fundo, para drenar a água e não encharcar demais as espécies.

2 – Mudas misturadas

Jardineiras são ótimas para driblar a falta de espaço em apartamentos ou áreas pequenas, porque podem conter mudas de diferentes tipos. Cuidado apenas ao escolher as espécies que dividirão a mesma caixa. A hortelã tem raízes invasoras, que destroem as de outras espécies. “Deve ser plantada sozinha, assim como a salsinha”, diz a herborista Sabrina Jeha, da Sabor de Fazenda. “O que se usa mais é melhor ter em vaso separado”, completa ela. Algumas misturas que dão certo: alecrim, tomilho e sálvia; manjericão, anis, carqueja e sálvia; e manjericão, manjerona e cebolinha.

3 – Adubos naturais

Uma horta caseira pode ter o luxo de ser orgânica. Além da torta de nim, que aduba e afasta pragas e doenças, pode-se usar húmus de minhoca ou torta de mamona, que é rica em nitrogênio e faz com que as folhas fiquem grandes e robustas. No entanto, cuidado: a torta de mamona é tóxica para bichos e crianças. Evite misturá-la à farinha de osso, porque os cachorros são atraídos pelo cheiro. Pode-se substituir a torta de mamona pela torta de algodão.

4 – Luz dosada

Um local adequado para se ter uma horta proporciona, no mínimo, quatro horas de sol por dia às verduras e aos temperos. Embora a lavanda, o tomilho, o tomilho limão, o alecrim, o capim-limão e a citronela sejam mais resistentes ao vento, procure um lugar um tanto protegido para não comprometer o desenvolvimento de outras espécies.

5 – Drenagem fácil

Um vaso com boa drenagem exclui um dos problemas fatais para as ervas e os temperos: o apodrecimento da raiz.

6 – Poda drástica

A regra para ter ervas verdejantes é simples e boa de aplicar: quanto mais são consumidas, maior é o estímulo à produção de novas folhas. Se faltar fôlego para usá-las, vão murchar e secar. Nesse caso, opte por uma poda vigorosa. Corte as folhas e aguarde. Logo despontarão novamente.

7 – Hortaliças protegidas

Desistiu de plantar couve porque as lagartas sempre chegam antes? Seduza-as com outro aperitivo. A capuchinha, planta encontrada nas encostas das montanhas e que produz flores comestíveis, costuma ser mais apreciada por larvas do que as hortaliças. A sugestão é alterná-las às verduras no canteiro.

8 – Solo caprichado

Acredite: 70% do sucesso da horta deve-se ao preparo do solo. Em canteiros, caixas ou vasos, a terra precisa ter uma adubação equilibrada. Misture duas partes de terra comum, uma parte de composto orgânico (ou húmus de minhoca) e uma parte de areia. O canteiro não pode ter pedras e o solo deve estar bem fofo para que as pequenas raízes encontrem caminho livre para crescer.

(Weber Andrade/Revista Casa e Jardim)