Suposto acusado de estuprar a própria filha é preso em Barra de São Francisco

2020
Delegados Juliano Batista e Leonardo Forattini

Um caso repugnante ocorrido na Vila Gonçalves, em Barra de São Francisco, e descoberto pelos delegados de Polícia Civil Juliano Batista e Leonardo Forattini. O suposto acusado foi preso na tarde desta quinta-feira, 21 de dezembro de 2017.

Tudo iniciou quando integrantes do Conselho Tutelar de Barra de São Francisco compareceram na Delegacia de Polícia com duas irmãs adolescentes, de 13 e 15 anos, que alegavam sofrerem maus tratos.

Os delegados avançaram nas investigações e descobriram que não tratava de apenas maus tratos e sim que uma das irmãs, de 15 anos, vinha sendo estuprada pelo pai durante os dois últimos anos e que quando a filha recusava manter relação com o pai, era obrigada a ficar de joelhos em cima de caroços de milho durante aproximadamente 04 horas, o que, em tese, também caracteriza crime de tortura.

Ficou apurado ainda que a madrasta das duas irmãs, sempre como forma de castigo, também colocava as duas adolescentes em cima de caroços de milho, além de agredi-las com uma mangueira.

As marcas nos joelhos das irmãs eram visíveis. As duas irmãs foram conduzidas para o SML para exames de conjunção carnal, coito anal e lesões corporais.

Os delegados representaram contra o pai e a representação foi deferida pelo juiz da 1ª vara criminal Carlos Magno Telles.

Os objetos relacionados  com os crimes de estupro e tortura foram localizados na residência do acusado, bem como mangueira e milho. Na residência não havia nenhuma criação de galinha e o milho era usado para a tortura.

Também foi apreendida uma quantidade de anticoncepcional, os quais o pai obrigava a filha a tomar para não ficar grávida, pois o mesmo estuprava a filha sem usar preservativo.

O acusado A.C.D.S foi conduzido para a Delegacia de Polícia Civil de Barra de São Francisco. As investigações poderão chegar também até a madrasta que poderá responder pelo crime de tortura e concluirá se a mesma tinha conhecimento do estupro.