Servidores vão receber R$ 100 milhões e atribuem conquista a Enivaldo dos Anjos

760

 

50O deputado Enivaldo dos Anjos (PSD) se transformou no ícone da defesa dos servidores da Assembleia Legislativa, com a decisão histórica tomada na assembleia geral desta terça-feira (28), quando a categoria autorizou o seu sindicato a negociar uma redução no valor do precatório relativo aos 11,98% de perdas salariais na conversão da moeda do cruzeiro para o real, em 1994.

A comissão presidida pelo deputado Enivaldo dos Anjos (PSD), primeiro secretário da Mesa Diretora, precisou de menos de dois meses para por fim a uma pendência de mais de 20 anos da Assembleia Legislativa com os seus servidores.

Até o final do ano, 3.624 beneficiários, entre servidores da ativa, inativa e pensionistas, receberão entre R$ 80 milhões e R$ 105 milhões do valor já transformado em precatório. O valor corresponde ao período de 1994, no último ano do governo de Itamar Franco, quando houve a instituição do Plano Real, até 2009, quando a Casa incorporou os 11,98% aos vencimentos dos servidores.

A Procuradoria Geral do Estado já havia sinalizado que até R$ 80 milhões o Estado aceitava pagar. A dívida com os servidores, de acordo com o último cálculo feito na Justiça, estava em R$ 104 milhões. “Agora, é só o Sindicato fechar os números com a Procuradoria.

O acordo acelera o processo e o precatório dos servidores da Assembleia passa para a cabeça da lista do Tribunal de Justiça. Acredito que nos próximos 60 a 90 dias todos eles recebam e acabe essa agonia”, disse o deputado Enivaldo dos Anjos, que desde que assumiu o mandato, em fevereiro deste ano, vinha cobrando da administração uma solução para o problema dos servidores.

“Era a maior injustiça a que estava se cometendo com os servidores da Casa, porque o Judiciário e o Ministério Público já pagaram essa diferença há muito tempo”, acentuou Enivaldo. No ano de 2009, a Assembleia Legislativa incorporou os 11,98% aos vencimentos dos seus servidores, mas ficou a pendência dos 15 anos anteriores, que agora será paga.

51 52 53 54 55 56