Seguimentos religiosos ficaram horrorizados com a baixaria na sessão da câmara municipal de Barra de São Francisco

1101

7000A população de Barra de São Francisco compareceu em peso para assistir a Sessão da Câmara municipal desta segunda feira, 06/07/2015, entre os presentes estava o Padre Valtin, Pastores, lideranças de várias áreas e muitos estudantes.

A sessão que deveria ter sido tranquila acabou se tornando num ato deplorável devido ao baixo nível imposto por alguns membros do legislativo francisquense. Nem mesmo com todos os esforços feitos pelo presidente Juvenal Calixto não foi possível evitar que vereadores se atacassem em Plenário, alguns vereadores foram aplaudidos pelos que acompanham a sessão, mas, teve também casos de vereadores vaiados.

Uma pessoa que acompanha sempre as sessões disse que está difícil acompanhar os trabalhos legislativos devido aos ataques que acontecem entre os próprios parlamentares. Uma pessoa ligada ao comércio disse que era a primeira vez que acompanhava uma sessão, mas que deverá ser a última, pois não aguenta ver coisas como as que ocorreram durante a sessão.

Segundo informações dois vereadores aliados do prefeito tentaram intimidar o vereador Zé Valdeci, com palavras ofensivas e o seguiram nos corredores daquela casa de leis supostamente com intenção de agredi-lo, mas que foram contidos pelo vereador Juvenal Calixto. Zé Valdeci, inclusive, foi muito aplaudido pelos presentes.

“As manobras politiqueiras já estão a todo vapor. Quem chamou o Zé Valdeci de mentiroso é porque está lambendo o prato que cuspiu e não tem competência para chamar para si os holofotes a não ser pela sua falta de decoro, pela arrogância e ignorância”, disse uma jovem.

Os debates entre os membros de um parlamento é coisa normal, salutar, mas os debates devem ocorrer dentro de um nível de civilidade. Ninguém espera que os treze parlamentares tenham o mesmo pensamento, pois, existem vereadores de situação e de oposição, mas no final deveria estar prevalecendo os interesses do município acima de vaidades e caprichos pessoais.

A situação foi tão deplorável, que após uma fala do vereador Admilson Brum, um dos que foram vaiados, o Presidente Juvenal para assegurar que as discussões não se transformassem em agressões acabou encerrando os trabalhos antes da votação de toda a pauta.

Vale aqui destacar que o atual presidente tem sempre advertido que as questões pessoais devam ser revolvidas antes de chegar ao Plenário, mas alguns vereadores não entenderam esta mensagem de pacificação e cordialidade. Até mesmo o vereador José Valdeci um dos mais elogiados por sua atuação foi algo de ataques pessoais na sessão.

Não custa lembrar que quando o parlamento se desgasta ele se enfraquece e, nas urnas o resultado poderá ser catastrófico como ocorrido em São Gabriel da Palha nas últimas eleições municipais quando nenhum vereador se reelegeu.

Anita Teodoro: E assim mesmo, a gente sai de lá indignado. E muita falta de respeito com nos. Precisamos rever os nossos conceitos de cidadão para mudar aquela casa

Dayse Lima Chagas Gatti: Mais triste ainda é que muitos de nossos representantes não entenderam o que era proposto no plano de lei, viram apenas a oportunidade de verbas para o município.

Foto: Mazinho

Padre Valtinho de camisa azul esteve presente
Padre Valtinho de camisa azul esteve presente