Promotores de justiça de Barra de São Francisco fizeram um trabalho extremamente profissional

630

671O povo acordou de vez em Barra de São Francisco. Depois da denúncia do Ministério Público contra o prefeito Luciano Pereira (DEM), por inúmeras irregularidades na contratação de horas máquina, muitas pessoas que achavam que toda a história era picuinha política passaram a ver e entender que a situação é muito mais séria do que parecia.

Até mesmo pessoas ligadas ao grupo político que administra o município já começam a entender que não é mais uma ‘guerra’ política e sim um movimento para o bem do município e fim da corrupção.

Nesta segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016, Barra de São Francisco viverá um momento histórico. Diversos segmentos da sociedade estarão juntos na câmara, buscando justiça para acabar com a corrupção denunciada pelo Ministério Público Estadual.

Os promotores de Justiça Creumir Guerra, Luiz Carlos de Vargas e Rafael de Melo Gariolli, fizeram um trabalho extremamente profissional. Ouviram testemunhas, acusados, envolvidos e suspeitos. Ouviram pessoas que deram detalhes de todo o suposto esquema montado para tirar dinheiro da prefeitura municipal. Todo o relatório da apuração dos promotores foi enviado à câmara e será lido nesta segunda-feira.

A população já não está preocupada com lado político e sim pela moralidade na administração municipal. Todos estão unidos para ver o município livre da corrupção.

São esperadas nesta segunda-feira, várias entidades como OAB, ONG, CDL, Maçonaria, Lions Clube, Igrejas, Associações e a Sociedade Civil Organizada. Todos lutando com o mesmo objetivo, uma Barra de São Francisco melhor.

A única preocupação dos grupos é com relação aos vereadores. Segundo informações, foi criado um grupo de vereadores para proteger o prefeito municipal. Alguns desses vereadores tiveram o nome mencionado no relatório do Ministério Público. Caso permaneçam ‘blindando’ o prefeito, ficará mais claro a participação desses no suposto esquema.

O presidente municipal do PP – Partido Progressista, foi um dos que denunciou o suposto esquema. Delcy Nunes assinou e protocolou a denúncia, que deu início às investigações.

O vereador Aloysio Alves (PDT), chamou atenção para o problema antes do início das investigações. Ele chamou atenção para a situação e cobrou informações sobre as máquinas que prestavam serviço para prefeitura.

José Valdeci (PT), desde que foi firmado o contrato de prestação de serviço, já via irregularidade. Por diversas vezes tentou denunciar e até propôs a abertura de uma CPI para investigar o caso, mas o grupo que ‘blindava’ o prefeito municipal sempre o taxou do ‘bobo’ e não deixou que a CPI fosse aberta.

Nesta segunda, após a leitura, a denúncia deve ser encaminhada para a Comissão de Justiça da Câmara Municipal e, caso passe, será colocada em votação. Caso obtenha 2/3 dos votos, o prefeito Luciano Pereira pode ser afastado do cargo.