Prefeitura de Barra de São Francisco pode cobrar rotativo mas não pode pintar faixas

511
Faixas invisíveis
Faixas invisíveis

O vereador Valézio Armani voltou a levantar a polêmica da responsabilidade pelo trânsito em Barra de São Francisco. Embora a prefeitura alegue que não pode fazer certos serviços, como a pintura das faixas de pedestre, ela explora o serviço de estacionamento rotativo na cidade, com enorme prejuízo para a população.

Durante a última sessão da Câmara de Barra de São Francisco Valézio Armani apresentou indicações para que a prefeitura refizesse a pintura das faixas de pedestres da cidade e pintasse uma nova faixa de pedestres nas proximidades do Alves Material de Construção.

“Mas durante a sessão o vereador líder do prefeito, Wilson Pinto das Mercês, o Mulinha, disse que esse serviço não é possível, pois o trânsito na cidade de Barra de São Francisco é de responsabilidade do Estado, que o governador Paulo Hartung não libera para fazer o serviço e que cobranças já foram feitas ao governador para isso”, criticou.

Daí surge a grande dúvida. Se a prefeitura não pode pintar as faixas porque o trânsito é de responsabilidade do Estado, então como a prefeitura pode aprovar uma lei e cobrar pelo rotativo? “Para cobrar a prefeitura pode, para fazer serviços simples como pintura de faixas ela não pode. Enquanto isso a população fica correndo o risco de atropelamento nas faixas totalmente apagadas”, afirma Valézio.

Vale lembrar que o Ministério Público já recomendou a prefeitura a suspensão da cobrança do Rotativo na cidade justamente pelo fato de a gestão do trânsito ser atribuição do estado.