Prefeito pede à Polícia Civil investigação sobre lixão à beira de rodovia

912

O prefeito Enivaldo dos Anjos (PSD) determinou ao procurador da prefeitura de Barra de São Francisco, Elvécio Andrade, que entre na Delegacia de Polícia Civil da cidade com um pedido de investigação do crime ambiental e contra a ordem pública cometido por quem está fazendo um lixão clandestino nas proximidades do trevo da estrada do Contorno, saída para Colatina, onde são depositados restos de ossadas de boi.

De ordem do prefeito, também o Secretário de Defesa Social e da Guarda Municipal, capitão Valmer Simões, já iniciou providências no sentido de identificar o infrator e puni-lo com base na legislação vigente, inclusive no Código de Posturas do município. O prefeito recebeu várias reclamações da população nesta quarta-feira (3), com fotos e vídeos da ocorrência.

“Temos dado o exemplo, mantendo a cidade limpa, assim como os rios. Queremos que Barra de São Francisco viva uma nova época, mais civilizada, para que a gente construa uma cidade melhor. Quero que os responsáveis sejam identificados e punidos. Disseram que faz tempo que isso acontece, mas posso garantir que não vai continuar ocorrendo”, disse Enivaldo.

A descoberta do entulho nas margens da rodovia próximo ao trevo na saída para Colatina, em Barra de São Francisco/ES, chamou a atenção e despertou revolta nas pessoas que tomaram conhecimento, principalmente de quem passa pelo local fazendo caminhadas e tem que conviver com o odor insuportável.

No local tem todo tipo de entulhos, inclusive ossos de animais de grande porte atirados na área verde e nas margens da rodovia, pneus velhos, vasos sanitários usados etc, dando ao local um aspecto de abandono e provocando mau cheiro que incomoda as pessoas que circulam pelo local e moradores das proximidades.

Acredita-se que os entulhos são levados em caminhões e atirados no local na calada da noite, ou durante a madrugada. Os vândalos, além de enfeiar a paisagem, estão praticando crime ambiental, haja vista que todo aquele entulho despejado na localidade, causa danos ao meio ambiente.

Vale enfatizar, que a área é particular e não pertence ao Município. Acredita-se que o seu proprietário não tem conhecimento do ocorrido, e se tem, não teve coragem de agir no sentido de tomar as providências necessárias. Nesse caso, segundo informações, o proprietário, caso tenha conhecimento e não tomou as devidas providências, também poderá ser responsabilizado civil e criminalmente.

Em virtude do abuso praticado pelos vândalos que atiram entulhos no local, a área passará a ser monitorada dia e noite e aquele que for pego jogando lixo e restos mortais de animais na localidade, será preso em flagrante e conduzido à Delegacia de Polícia para responder pelo crime praticado.