Prefeito “eleito” de Ecoporanga teve apenas 20,86% dos votos

2676
Elias Dalcol
Elias Dalcol

Mais da metade dos eleitores de Ecoporanga rejeitou seis dos sete candidatos que concorreram a prefeito e, até o momento, a Justiça Eleitoral tem considerado eleito o candidato do PR, José Luiz Mendes, que teve apenas 3.273 votos – o equivalente a 20,86% dos votos depositados nas urnas eletrônicas no dia 2 de outubro no município (15.685).

A apuração aponta que Ecoporanga teve 8.143 votos nulos (51,91%), dos quais 7.695 foram destinados a Elias Dalcol (PSD), ou seja, 49,05%. Porém, a candidatura de Elias está sub-judice.

Num julgamento político, a Câmara de Vereadores de Ecoporanga rejeitou as contas do último ano do mandato de Elias, que governou o município de 2009 a 2012, quando perdeu a eleição para o atual prefeito Pedro Costa (PT).

Elias atribui a rejeição de suas contas a uma questão política, porque ele ficou sem apoio na Câmara, que não seguiu o parecer técnico do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo (TCEES) pela aprovação das contas e as reprovou, numa manobra política, segundo o ex-prefeito, justamente para impedir que ele pudesse ser candidato novamente.

No julgamento das urnas, Elias deu de 5 a 1 em Pedro Costa, que teve apenas 1.536 votos em sua busca de reeleição, ou seja, 10% do eleitorado que foi às urnas. Os outros candidatos foram Ezequiel Galdino (PDT), com 931 votos; Eduardo Muquy (PSB), com 911; Roberval Fialho (PMDB), com 543; e Sargento Hugo (PTN), com 161 votos.

Resultado pode mudar

O recurso de Elias Dalcol (PSD) contra o indeferimento de sua candidatura pela Justiça Eleitoral está para ser julgado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-ES). Se ele conseguir reverter o quadro, será proclamado prefeito de Ecoporanga para o período de 2017-2020. Se perder, ainda poderá recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).