Prefeito de Barra de São Francisco vai à Justiça para obrigar EDP a prestar serviço

341

Cansado de insistir com a concessionária para que melhore a prestação de serviços em seu município, o prefeito de Barra de São Francisco, Enivaldo dos Anjos (PSD), anunciou que a Prefeitura vai entrar na Justiça para obrigar a EDP a atender demandas dos munícipes, que estariam esperando até seis meses para verem atendidos até mesmo pedidos de adequação e fornecimento de energia.

“O município está se desenvolvendo e temos um exemplo específico de má qualidade dos serviços da concessionária: conseguimos trazer, através de capital privado, uma clínica de hemodiálise para a cidade e, assim, evitar que nossos pacientes tenham que viajar praticamente todos os dias 250 km para fazer o tratamento em Colatina. A clínica não consegue iniciar o tratamento porque a EDP não faz as adequações de rede que precisa para fornecer energia ao estabelecimento”, disse Enivaldo.

O impasse, segundo Enivaldo, é que a clínica necessita de uma rede de maior potência, mas a EDP não aceita que a Prefeitura instale a rede por interesse público.

“A empresa só aceita que a própria clínica construa a rede e assine um documento doando para a EDP, que pode utilizá-la para vender serviços a outros usuários. Como é uma região de expansão da cidade e onde queremos que se instalem novas clínicas, inclusive uma de oncologia, a Prefeitura se propôs a pagar a rede, mas a EDP não aceita, só aceita se fora a própria clínica”, disse Enivaldo.

O prefeito salientou que briga contra a má qualidade dos serviços da concessionária de energia elétrica desde quando era deputado e que agora vai utilizar de sua autoridade de prefeito para cobrar na Justiça com uma ação com pedido de liminar com obrigação de fazer para que a EDP aceite a solução do município.

Outra queixa do chefe do Executivo é que não há atendimento presencial da concessionária, mas somente online, que, segundo ele, “não resolve nada”.

“Essas empresas não têm concorrente e por isso abusam. Chegam de fora e acham que podem mandar no município, mas no município quem manda é o povo do município. Vamos para o confronto. Inclusive, vamos desapropriar o terreno onde hoje a EDP tem uma subestação no bairro Irmãos Fernandes e obrigá-la a fazer a instalação em região rural. Esse tipo de instalação gera muita radiação e prejudica a saúde da população. Vamos tirar a subestação do perímetro urbano”, disse Enivaldo.

Segundo o prefeito, quando a antiga Escelsa instalou a subestação no bairro Irmãos Fernandes não havia casa em volta. Agora, o bairro cresceu. “A prioridade é gente”, acentuou o prefeito