Prefeito de Barra de São Francisco pode ser afastado e Juvenal assumiria o cargo

1207
Juvenal e Pereirinha
Juvenal e Pereirinha

O prefeito de Barra de São Francisco pode ser afastado do cargo ou até mesmo cassado, mas isso depende, única e exclusivamente dos 13 vereadores da câmara municipal, ou melhor, da maioria em votação.

Uma pequena mudança no cenário político atual pode fazer do vereador Juvenal Calixto (PPS), prefeito de Barra de São Francisco antes mesmo das eleições de outubro desse ano.

Isso porque o Ministério Público denunciou o prefeito de Barra de São Francisco, por supostas irregularidades na contratação de máquinas para atender o produtor rural. O MP pediu também o ressarcimento de mais R$ 2 milhões aos cofres públicos.

Segundo o relatório do MP, além de receber R$ 60,00 da prefeitura através das empresas, Moisés exigia, com anuência do prefeito Luciano, mais R$ 30,00 por hora, de cada produtor rural. Ao todo, foram mais de 20 mil horas/máquina.

Segundo o relatório do Ministério Público, prefeito e sua esposa foram avalistas de Moisés Antônio Martins, na compra de uma retroescavadeira no valor de R$ 180 mil. O Ministério Público entendeu também que as empresas de Moisés foram constituídas apenas para receber recursos públicos do município de Barra de São Francisco.

Após ouvir os envolvidos e testemunhas, o Ministério Público encaminhou uma cópia do relatório à Câmara de Barra de São Francisco.

Com relatório em mãos, os vereadores podem votar o afastamento do prefeito Luciano Pereira. E segundo informações, esse assunto já está rodando nos bastidores, e, inclusive, entre os vereadores, que retornam das férias nesta terça feira, 02/02/2016.

Caso o prefeito seja afastado, quem assumiria a administração seria o vice, Matheus Ferreira. Acontece que o vice-prefeito também foi denunciado na mesma ação, já que ele é responsável pela secretaria municipal de agricultura.

Com esse cenário, prefeito e vice afastados, quem assume a prefeitura é o presidente da câmara, vereador Juvenal Calixto. Outro fato interessante é que não haveria eleições diretas e sim indiretas. Dessa maneira, a população não vota, e o prefeito é escolhido em sessão pelos vereadores.

Na eleição indireta, a escolha será feita pelos 13 vereadores do município. O eleito toma posse e administra a cidade até o dia 31 de dezembro. O próximo prefeito será eleito normalmente no pleito municipal que acontece esse ano no país em outubro.