Polícia Federal desarticula esquema de venda de atestados médicos

329
Documentos eram fornecidos mediante o pagamento de R$ 50
Documentos eram fornecidos mediante o pagamento de R$ 50

Uma operação da Polícia Federal do Espírito Santo trouxe à tona um esquema de venda de atestados médicos que eram usados para conseguir benefícios previdenciários de forma fraudulenta. A ação, batizada de Operação Talante, desarticulou na manhã desta quinta-feira (26) o sistema.

O “comércio” de atestados era conduzido por uma clínica no bairro Bela Aurora, em Cariacica. Segundo as investigações, os documentos eram fornecidos mediante o pagamento de R$ 50, sem a realização de consulta.

Para apurar as irregularidades, uma força tarefa previdenciária foi articulada. Além da Polícia Federal, participaram das investigações o Ministério do Trabalho e da Previdência Social e o Ministério Público Federal.

Os atestados eram apresentados perante ao INSS para manutenção de benefícios irregulares e também eram entregues pelos trabalhadores a empresas com objetivo de justificar a falta do trabalho. Eram também usados por servidores públicos, funcionários de prefeituras e das redes de ensino municipais e estadual.

Somente em um benefício previdenciário, que era mantido de forma irregular mediante apresentação de atestado e procuração falsos, houve prejuízo efetivo de R$ 177.615 para os cofres públicos.

Segundo a Polícia, o rombo aos cofres públicos seria ainda maior se a fraude não tivesse sido identificada. Só esse benefício extinto causaria perdas de quase R$ 500 mil.

Foram cumpridos 11 mandados de busca e apreensão na Grande Vitória e em Guarapari, e 3 mandados de intimação, tanto na clínica, como nos órgãos públicos vítimas do esquema fraudulento. Participaram da Operação 38 policiais federais e dois servidores da Previdência Social.

Os envolvidos foram indiciados pelos crimes de falsidade de atestado médico, falsidade ideológica e uso de documento falso, cujas penas variam de 1 a 5 anos de reclusão.

Fonte: gazetaonline