Pode pintar nova greve se Pereirinha não der reajuste salarial aos professores da rede municipal de ensino

428

67Os professores da rede municipal de ensino de Barra de São Francisco iniciaram o ano letivo num processo grevista, mas em assembleia resolveram dar uma chance ao atual prefeito até dia 25 de fevereiro para que a pauta apresentada fosse atendida. Segundo um professor da rede, já é quase certo que o prefeito não atenderá nada do que foi pedido, pois, já está chegando a data e nada resolvido.

“Mais uma vez nós professores vamos ficar a ver navios, os 18% de reajustes pretendidos até agora nada”, disse uma professora. Servidores municipais consultados disseram que se o prefeito conceder aumento salarial para uma categoria os outros também irão querer, que se necessário vão iniciar um movimento grevista, pois várias categorias estão com seus salários tão defasados que o salário base já é o valor do salário mínimo, cintando como exemplo, pedreiros, pintores, eletricistas, calceteiros e várias outras categorias.

Como o prefeito tem anunciado aos quatro cantos da cidade que tem muito dinheiro em caixa, certamente terá condições de atender ao pleito dos servidores. Caso o reajuste salarial não for concedido a categoria, os professores podem retornar com a greve.