PM prende dois jovens e um menor pela falsificação de dinheiro em Mantena

3573

88Os falsificadores usaram crianças que estudam na Escola Petrina Pinto Pereira para passarem duas notas de 10 reais falsas comprando balas no Bar do Sr. Joaquim, o primeiro menor conseguiu efetuar a compra e recebeu o troco de nove reais, porém, o segundo menor não teve a mesma sorte sendo flagrado pelo dono do Bar.

As notas falsas foram falsificadas em uma impressora comum que estava em uma construção no Bairro Boa Esperança. Foram presos Wesley e Samuel e apreendido um menor pela participação na trama.

A prisão destes dois adolescentes só foi possível pela participação de membros da diretoria da Escola Petrina Pinto Pereira que de posse de informações que dois alunos estudantes compraram no Bar do Sr. Joaquim e usaram notas de 10 reais falsificadas.

De posse da informação a vice-diretora chamou os dois alunos menores e indagou qual a procedência das notas sendo informada de que outro menor havia lhes passado uma cédula de 10 reais para cada um lhes pedindo para compra um real de balas no bar da vítima, um dos menores obtiveram êxito e recebeu o troco de nove reais, porém o outro não conseguiu aplicar o golpe, pois, o Sr. Joaquim reconheceu que as duas cédulas de 10 reais eram falsas.

Diante do exposto pelos dois menores que relataram que um outro menor lhes havia passado as notas a Polícia Militar indagou a procedência das notas sendo informados que dois adolescentes Wesley e Samuel havia lhe passado as cédulas relatando ainda que Samuel era quem fabricava as cédulas com uma impressora, comprada no comércio de Mantena, e que estava guardada em uma construção no Bairro Boa Esperança.

De posse da informação a Polícia Militar foi até o local e apreendeu a impressora juntamente com vinte e cinco cédulas de 10 reais falsas. O autor Wesley assumiu que ele falsificava as notas sozinho sem ajuda de Wesley e que o menor tinha conhecimento que as notas eram falsas e que já tinha presenciado ele imprimir as notas na impressora.

Os dois menores estudantes que compraram as balas no Bar do Sr. Joaquim foram liberados pelo Conselho Tutelar, tendo em vista que não sabiam que as notas passadas eram falsas, foi dada voz de prisão aos autores e de apreensão ao menor, que estava acompanhado de sua genitora, que foram conduzidos a DEPOL juntamente com os materiais apreendidos.

Fonte: Assessoria de Imprensa PM/Mantena