Pastor, testemunha em caso de estupro, é executado a tiros

346

Polícia investiga causas. Religioso testemunhou contra um pai por abuso sexual contra filha e vinha sendo ameaçado de morte em Itueta (MG). Ele foi executado após o culto.

Pastor Christian havia terminado o culto e foi chamado na porta de sua casa, ao lado da Igreja

 

O pastor Christian André Souza, 40 anos, foi assassinado a tiros na porta da casa pastor, que funcionava ao lado da Igreja Batista de Itueta (MG), no vale do Rio Doce, após celebrar o culto de domingo(24) à noite. Um homem chegou em frente à casa, que fica ao lado do templo, e perguntou se o religioso estava. Quando Christian saiu, o criminoso disparou contra ele seis tiros e fugiu de moto.

A vítima chegou a ser socorrida com vida, mas morreu ao dar entrada no hospital. A Polícia Civil de Minas está fazendo as investigações e não descarta nenhuma hipótese para o crime, mas trabalha com três linhas de informações levantadas junto à família e a amigos da vítima.

Testemunhas contaram que, durante a pregação, o pastor afirmou que o ano anterior havia sido muito difícil e que tinha sido ameaçado de morte por um pai contra quem ele testemunhou num caso de abuso sexual contra a filha. O homem foi preso e fez ameaças ao pastor. Depois de solto, o pai sumiu da cidade. Segundo o portal G1, parentes do acusado chegaram a culpar pelo desaparecimento.

A polícia recebeu informações de que o pastor Christian teve uma discussão com um inquilino de um apartamento na região metropolitana de Belo Horizonte e isto também será investigado.

Outra hipótese levantada por amigos da vítima é da possibilidade de crime político. A cidade de Itueta foi removida para construção da barragem de uma usina hidrelétrica na região. Na reconstrução da cidade nova, a empresa responsável não devolveu à Igreja um templo como o que tinha na cidade velha. O pastor entrou na Justiça pela Igreja e ganhou a causa e estava envolvido na construção do novo templo.

O pastor Christian André de Souza deixa esposa e dois filhos. Ele era considerado um homem dedicado à família e ao seu ministério, sendo estimado por seus colegas da Convenção Batista do Estdo de Mnas Gerais.

(Da Redação com informações do G1 e do Tribuna Norte Leste)