Pânico geral: 11 pessoas são feitas reféns na zona rural de Colatina

2363

Cinco homens armados invadiram uma mercearia na Comunidade de Graça Aranha, interior de Colatina, no Noroeste do Espírito Santo por volta de 6h30min desta segunda-feira 27, e fizeram 11 pessoas reféns. Os criminosos também levaram cerca R$ 3,5 mil em dinheiro, mercadorias e celulares das vítimas.

O grupo foi preso em Linhares. A esposa do dono do estabelecimento, Creuza Faé Pancieri, de 61 anos, estava no caixa na hora do assalto com mais quatro pessoas da família, que também estavam trabalhando. O estabelecimento tinha acabado de abrir as portas.

“Um rapaz chegou e disse para eu ficar calma e falar baixo porque era um assalto. Depois outros quatro bandidos renderam os outros funcionários. Todos estavam armados. Eles pediram joias, dinheiro e a chave do cofre. Disseram que queriam R$ 50 mil, mas a gente não tinha. Levaram R$ 450 do caixa, R$ 500 que estavam no cofre, além de mercadorias e celulares. Fizeram alguns dos nossos clientes reféns também”.

Creuza contou que os criminosos reviraram a mercearia toda à procura de dinheiro e disse ter sido ameaçada a todo momento. “Fui ameaçada de morte e levei uma gravata de um deles. Chorei muito na hora. Trabalho aqui há 42 anos e fiquei muito assustada com a agressividade deles”.

Esta é a terceira vez que o comércio é assaltado em 4 anos. Depois de assaltar a mercearia, um dos criminosos invadiu a casa da aposentada Armerita Preato Marquezine, de 72 anos, que tem problemas cardíacos e utiliza marcapasso para controlar os batimentos cardíacos.

“Meu filho viu o assalto e correu para se esconder aqui em casa. Um homem armado invadiu a minha casa, me puxou pelo braço, me jogou em uma cadeira e apontou uma arma para a minha cabeça. Eles queriam dinheiro e joias, mas não tínhamos. Levaram os celulares de todo mundo. Foram 10 minutos de pânico. Moro há 53 anos aqui e nunca passei por isso na minha vida. Fiquei com muito medo. Minha neta pediu para não bater em mim. Eu tremia muito. Peço a Deus para que isso nunca mais aconteça”.

O líder comunitário de Graça Aranha, Robson José Marquezine, 42 anos disse que a comunidade está abandonada. “Tive de ligar para um policial conhecido para vir aqui porque tentei através do 190 e ninguém atendeu. Estamos abandonados aqui porque não temos posto policial por perto e nem policiais fazendo patrulhamento. Os municípios vizinhos como Governador Lindenberg e Marilândia são os que nos socorrem, mas demoram para chegar”.

A lavradora Maria Aparecida Stocco Marquezine, 48 anos, disse que na fuga, os criminosos levaram o carro da irmã dela, que estava na rua. “Eles levaram o carro da minha irmã e cerca de R$ 2.500 que estavam com ela. A insegurança aumentou muito. É raro ver policial por aqui. Antes deixávamos a casa aberta, agora não podemos mais”.

Após o crime, os criminoso abandonaram o carro roubado em Córrego Santa Catarina e fugiram para Linhares, região Norte do Estado, com um veículo Prisma, onde foram presos pela Polícia Militar. Na tentativa de se esconderem, os criminosos invadiram residências no bairro Novo Horizonte, mas foram detidos.

Durante a perseguição, um deles foi baleado na perna pela PM. Ele foi encaminhado para o Hospital Geral de Linhares (HGL) e, em seguida, levado para a delegacia. Quatro suspeitos que têm mais de 18 anos foram encaminhados para a 16ª Delegacia Regional de Linhares.

Um adolescente de 17 anos também foi apreendido. Com a quadrilha a polícia apreendeu três armas, munição, dinheiro, caixas de supermercado, bebidas, cigarros, roupas e alimentos. A operação durou cerca de três horas e contou com viaturas, motos e mais de 15 policiais militares.

Fonte: Sol Quadrado