Padre Honório faz criticas a prefeitura de Barra de São Francisco pelo abandono do CAPS

1650
Deputado estadual Padre Honório
Deputado estadual Padre Honório

O deputado estadual Padre Honório (PT), em pronunciamento na tribuna da Assembleia Legislativa, teceu criticas sobre o abandono em que se encontra o CAPS (Centro Apoio Psíquico Social), localizado nos bairros Alvorada, Patrimônio das Moças e Vaquejada em Barra de São Francisco.

“Infelizmente o que seria para socorrer o cidadão, transformou em uma obra fantasma, o Projeto social que seria implantado, nunca foi implantado, a depredação do imóvel causou revolta aos moradores dos bairros, pois os mesmos são carentes de projetos sociais”, disse Padre Honório.

“O descaso da administração municipal com o órgão de grande importância como o CAPS, haja vista que seria o órgão responsável para acolher Dependentes Químicos e seus familiares, bem como, tratamento de pessoas com transtornos mentais, acabou facilitando a ação de criminosos culminando com a destruição de parte do imóvel, bem como dos bens moveis”, disse Padre Honório.

“O CAPS deveria ter sido estruturado e entregue a população para que a mesma pudesse usufruir dos seus serviços. Infelizmente não aconteceu. As autoridades responsáveis pelo gerenciamento do CAPS deveriam ter mantido vigilantes no local para garantir a integridade do imóvel”, alertou o Padre.

Iniciado na gestão de Paulo Hartung (PMDB) em 2010, e concluído na gestão do ex-governador Renato Casagrande (PSB), e já no final do mandato do ex-prefeito Waldeles Cavalcante (PSC), o centro acabou sendo inaugurado pelo atual prefeito, Luciano Pereira, o Pereirinha (DEM), mas após ser inaugurado, o mesmo continua abandonado até os dias atuais.

No ano passado o prédio do CAPS, foi depredado por vândalos na noite de 13 para 14/03/2015 e 13/04/2015, tendo vários moveis e equipamentos destruídos, bem como a parte física do imóvel parcialmente destruídos. Alguns móveis furtados foram recuperados pela polícia.

Um ex-vereador entrou com uma representação no Ministério Público, pedindo a apuração de responsabilidades, sobre a depredação do CAPS no final do ano passado, anexou, inclusive na representação, dois Boletins de Ocorrência Policial nº 24111777 e 24421485, lavrados pela Policia Militar nos dias, 14/03 e 13/04/2015 respectivamente.

Na representação o ex-vereador pede apuração de responsabilidades em face dos Gestores (Prefeito e Secretários) que tinham a obrigação de zelar e manter a integridade física do imóvel e não fez, não colocando sentinelas (vigias) no local, facilitou a invasão de criminosos.

Na ação, vândalos quebraram a porta de entrada (porta de vidros) que dá acesso ao interior da Unidade e destruíram tudo que foram encontrando pela frente. Destruíram um Ar Condicionado Split Novo, portas e janelas, gabinete de servidor de informática, dentre outros, todos os equipamentos físicos da Unidade foram retirados (furtados), no local não havia vigia.

O CAPS foi uma obra que foi construída com recursos Estadual e Municipal, através de parceria, onde o Estado liberou recursos para construção e equipamentos, no valor de R$ 1.399,000,00 (hum milhão trezentos e noventa e nove reais), o município entrou com o terreno (imóvel), depois de pronto o Gestor Municipal administraria, ou seja, contratava (Profissionais de Saúde) para concretização do Projeto.

O CAPS iria atender pacientes com dependência química e seus familiares e pessoas com distúrbios psicológicos. O CAPS foi construído, no final da gestão de Waldeles Cavalcante, mas não serviu um segundo sequer para a comunidade, pois o atual prefeito só fez a inauguração e o prédio continua abandonado, e o que é pior, Barra de São Francisco continua sem esse serviço.

“O Centro de Atenção Psicossocial de Barra de São Francisco (CAPS), também conhecido como centro de recuperação de drogados, foi construído pelo Governo do Estado para ser administrado pelo município. Portanto, o único responsável pelo funcionamento do órgão é a Prefeitura”.

A informação é do gerente de Planejamento e Desenvolvimento Institucional da Secretaria de Estado da Saúde, Francisco José Dias da Silva. Hoje tem cerca de 10 a 12 CAPS construídos pelo Estado para os municípios e apenas um ou dois deles não funciona.

É o caso do CAPS de Barra de São Francisco existe, inclusive uma denúncia no Ministério Público de Barra de São Francisco que apura responsabilidade sobre o abandono do CAPS.

A construção do CAPS se iniciou em 2010, quando o então Governador do Estado “PAULO HARTUNG” firmou convenio com a municipalidade para a construção de um CTT, posteriormente inaugurado como CAPS.

O recurso gasto no empreendimento ficou por R$ 1.399, 000,00 (UM MILHÃO TREZENTOS E NOVENTA E NOVE REAIS) o serviço de alvenaria mais a mão de obra sem contar com o imóvel (terreno) e os equipamentos físicos. Pode se afirmar que foi gasto aproximadamente R$ 2.000,000,00 ( dois milhões de reais). É muito dinheiro público para sair pelo ralo.

SONY DSC
SONY DSC

caps1 caps2 img_8189 img-20160404-wa0010 img-20160404-wa0011 img-20160404-wa0014-1 img-20160404-wa0014 sitebarra-barra-de-sao-francisco-11067605_675925492517913_1436193977731085754_n0