O que aconteceu com o Hospital Evangélico de Mantena depois das denúncias do MP?

738

04Situação dramática está acontecendo com o Hospital Evangélico de Mantena, onde a imprensa tomou conhecimento que a situação não é nada animadora, pois as informações que chegam dão conta de que o mesmo vive uma grande crise administrativa e financeira, uma triste realidade para uma entidade que esteve ao lado dos últimos governos municipais, inclusive, com um dos seus médicos sendo secretário municipal de Saúde.

Muitos se perguntam, que pode ter acontecido para que o hospital durante todos estes anos não tenha sido administrado com a competência para que nos momentos difíceis pudesse sobreviver com a tranquilidade de ter dinheiro em caixa e sem os problemas atuais.

O Hospital sempre foi administrado por pastores, mas com a mente dos médicos, pastores que muitas vezes são leigos em termos de administração hospitalar, que se deixaram, ou com conivência ou não, se dominar por profissionais que segundo dizem usaram durante todos estes anos do local, mas, não dividiam o dinheiro, ou seja, o hospital enquanto pode manteve todos os consultórios médicos e os trabalhos realizados com os gastos praticamente nas costas.

Quando não tivesse mais a anuência total do governo municipal, como aconteceu agora que o Pronto Atendimento mudou de mão, na certa não aguentaria mais manter os médicos profissionais sem que nenhum custo lhes fosse imputado no dia a dia.

Segundo informações, a situação dos médicos em relação ao hospital pode estar continuando da mesma forma, ou seja, o que aconteceu no passado pode estar acontecendo ainda. Os médicos continham a receber suas consultas diárias e possivelmente nada estaria sendo repassado para o hospital.

Esta situação estava sendo investigada pelo Ministério Público de Mantena, mas a decisão final ainda é desconhecida da imprensa. Na ocasião alguns médicos foram denunciados de possivelmente comandar um esquema onde atendiam pelo SUS, mas não sabe ainda se tinham anuência dos pastores que o dirigiam o hospital.

Por ter sido o Hospital Evangélico nós últimos governos municipais o responsável pelo Pronto Atendimento, onde os médicos que atendiam faziam procedimentos e a consulta pelo SUS e cobravam paralelamente como se fosse particular, neste caso usaram do Hospital Evangélico e também do SUS – Sistema Único de Saúde.

Não se sabe ainda o que mudou depois que o Ministério Público constatou as denúncias e se a direção tomou alguma providência sobre o direcionamento do Hospital Evangélico e se ainda permite que médicos usem do espaço físico e do Hospital e recebam as consultas sem nenhum repasses para entidade.

Quem estaria comandando o Hospital Evangélico de Mantena? Se são os pastores ou os médicos? Será que não chegou o tempo de uma nova dinâmica na divisão dos lucros com as consultas sendo direcionadas em parte para o hospital?

Um novo pastor estará no comando do Hospital Evangélico, talvez com ele tudo possa ser repensado e novos projetos possam alavancar todo potencial do Hospital Evangélico de Mantena.