Ministério Público está apurando suposto esquema eleitoral em Barra de São Francisco

1209

7O Ministério Público de Barra de São Francisco está investigando e trabalhando firme durante toda esta semana com o objetivo de apurar os possíveis crimes eleitorais com o uso da máquina pública no município.

Segundo informação estão sendo ouvidas as pessoas que possivelmente foram beneficiadas com marcação de consultas e exames por vereadores e pré-candidatos a vereadores e assessores de vereadores no sistema público de saúde do município de Barra de São Francisco.

Em um flagrante feito pelo promotor Luiz Carlos de Vargas, assessores especiais, os vereadores Valézio Armani (PSD) e Zé Valdeci (PT), e a polícia militar, fizeram uma verdadeira limpeza no pavilhão da saúde municipal em Barra de São Francisco.

De acordo com a denúncia de Valézio, vários pedidos de exames estavam armazenados no pavilhão para atender vereadores e pré-candidatos a vereadores ligados à administração municipal.

Segundo consta, os pedidos de exames dão preferência às pessoas que procuram os vereadores e pré-candidatos, deixando sem atendimento quem não recorre a eles.

Durante toda a tarde do dia 28 de junho de 2016, a equipe esteve juntando provas, fotografando e documentando todo o material. Será oferecida denúncia contra todos os vereadores e pré-candidatos identificados pela promotoria de justiça de Barra de São Francisco.

Em um armário, na secretaria municipal de saúde, o promotor encontrou pacotes e mais pacotes cheios de pedidos para liberação de marcação de exames, solicitados pelos vereadores, Tiãozinho da Colina, Jessui da Cesan, Antônio Morais, Carlim da Dengue e Camatinha.

Foram encontrados ainda pelo representante do MP, nomes de pré-candidatos a vereadores Obedes Martins, Reinaldo Neri, Tati, Roque e Adilson Perninha.

Na manhã da mesma terça-feira, o vereador Valézio Armani tentou filmar o esquema montado no pavilhão para beneficiar pré-candidatos. Segundo o vereador, o ex-vereador Paulo Roberto Valli, conhecido por Pisiu, estava no local e tentou o agredir. A polícia militar foi acionada e confeccionou o Boletim de Ocorrência. Em sua defesa, Pisiu disse que não agrediu Valézio.

A investigação deste fato pode levar a descoberta outras irregularidades e outros pré-candidatos beneficiados. Outra situação que vem sendo observada é o transporte de pessoas com o veiculo do município de forma irregular.

As investigações estão ocorrendo na Promotoria Eleitoral de Barra de São Francisco. O que, possivelmente terá mais rapidez por se tratar de período eleitoral. Se comprovada as irregularidades, os envolvidos poderão possivelmente responder por atos de improbidade administrativa. Os promotores de Barra de São Francisco têm sido muito elogiados pela sociedade local pela atuação firme e competente.

Entenda o caso

O promotor de Justiça de Barra de São Francisco, Luiz Carlos de Vargas, acompanhados de assessores especiais, polícia militar e alguns vereadores estiveram no Pavilhão de Saúde da prefeitura francisquense, nesta terça feira, 28/06/2016, onde deram flagrante a respeito de exames que eram distribuídos desordenamento por funcionários daquela secretaria para favorecer vereadores aliados do prefeito e pré-candidatos a vereadores que também são aliados do prefeito. O promotor esteve no local por solicitação dos vereadores, Lula Cozer, Zé Valdeci e valézio Armani.

Em um armário na secretaria municipal de saúde, o promotor encontrou pacotes e mais pacotes cheios de pedidos para liberação de marcação de exames, solicitados pelos vereadores, Tiãozinho da Colina, Jessui da Cesan, Antônio Morais, Carlim da Dengue e Camatinha.

Foram encontrados ainda pelo representante do MP, nomes de pré-candidatos a vereadores Ronaldo Neri, o Borrinha, Obedes Martins, Tati, Roque e Adilson Perninha.

O vereador Valézio Armani (PSD), foi a secretaria para registrar denúncia recebida por ele, mas ao chegar no pavilhão, quase foi agredido pelo ex-vereador Paulo Roberto Valli, o Pisiu, tio do prefeito. Valézio chegou a filmar imagem de Pisiu tentando agredi-lo no interior do pavilhão.

Após os procedimentos necessários pelo promotor de justiça, e confeccionado o boletim de ocorrência policial, todos foram encaminhados para a delegacia de policia local para prestar depoimentos. O material que comprova o flagrante foi encaminhado a delegacia de policia.

6 9