Mãe desesperada não recebe apoio da prefeitura e nem do MP de Barra de São Francisco

3139
Lucineia de Souza pede ajuda e socorro
Lucineia de Souza pede ajuda e socorro

Um caso decepcionante vem acontecendo com uma mãe que reside no Córrego Queira Deus, interior de Barra de São Francisco, ela que é mãe adotiva. Lucineia de Souza entrou em contato com este site para desabafar e pedir por socorro. A filha adotiva de Lucineia tem 11 anos de idade, ela é uma pessoa especial e tem Síndrome altíssima.

Lucineia cita, inclusive, a Lei 12,764 DE 2012, que fala sobre autismo e que segunda ela não funciona em Barra de São Francisco. Assim descreve ela, “já faz quatro meses que estou tentando uma consulta para minha filha na secretaria municipal de saúde da prefeitura e eles não marcam”.

“Já fui à promotoria Pública por duas vezes e não consigo falar nem com o promotor de justiça, acho que até pertence a prefeitura”, disse ela. “Eles, na secretaria de saúde riem na minha cara quando falo que foi a promotoria pública que mandou”, desabafa.

“Já falei para alguns vereadores sobre a lei 12.764 que não funciona, mas vou ver qual deles vai fazer alguma coisa e lembre-se que janeiro já começa a política”, avisa.

“Minha filha tem Sindrome de Aspe, mas a praga deste mandato dos infernos não deixa eu fazer o tratamento da minha filha e olha que já são quatro meses que estou nesta luta”.

“Chego ao pavilhão e eles falam que vão ver e marcar e quatro meses se passaram”.

Ao finalizar, Lucineia disse, “já estou preocupada porque adotei a minha filha com muitos problemas de saúde e ela não pode parar o tratamento. Adotei ela com dois anos de idade, com as pernas queimada e tem lesão no cérebro”.

Lucineia é uma mulher guerreira, trabalha na roça com seus familiares e não está tendo seus direitos respeitados por parte desta administração fracassada e que não respeita os mais simples, honestos, trabalhadores e de mãos calejadas do trabalho árduo no campo.

Síndrome de Asperger

A Síndrome de Asperger é um transtorno neurobiológico enquadrado dentro da categoria de transtornos globais do desenvolvimento. Ela foi considerada, por muitos anos, uma condição distinta, porém próxima e bastante relacionada ao autismo.

A Síndrome de Asperger, assim como o autismo, foi incorporada a um novo termo médico e englobador, chamado de Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). Com essa nova definição, a síndrome passa a ser considerada, portanto, uma forma mais branda de autismo. Dessa forma, os pacientes são diagnosticados apenas em graus de comprometimento, dessa forma o diagnóstico fica mais completo.