Juiz afasta vereador acusado de integrar “cúpula da fraude” do Podemos

330

A Justiça decidiu afastar o vereador Pedro Gonçalves (Podemos),de Nova Venécia, no Norte do Espírito Santo. O juiz Thiago de Albuquerque Sampaio Franco, responsável pela 30ª Zona Eleitoral afirma que houve fraude na cota de gênero destinadas a vagas de mulheres no partido do político, o Podemos.

Com a decisão, o magistrado determina a cassação dos diplomas do eleito e suplente pelo partido, além da inelegibilidade por oito anos, a partir da data das eleições passadas. A punição atinge  o presidente do partido na época e também a candidata usada como laranja pelo grupo político.

Apesar da determinação, a Justiça autorizou que o vereador Pedro Gonçalves permaneça no cargo até o chamado trânsito em julgado do processo, ou seja, até que se julgue todos os recursos possíveis.

O QUE DIZ O POLÍTICO AFASTADO

Em nota publicada nas redes sociais, o vereador afastado Pedro Gonçalves (Podemos) classificou a decisão judicial como “ataque a democracia”. Disse que ‘nunca’ participou de reuniões do grupo político para escolha dos candidatos pelo Podemos, e pediu desculpas à população pela vergonha que o partido o teria feito passar. No entanto, Pedro não disse se vai deixar o partido.