Italianos visitam o Espírito Santo em busca de parcerias

1640

DSC01951 Um grupo de consultores italianos, que trabalha com a representação de empresas de energia alternativa, oferta de modernas tecnologias para o setor produtivo, empresas de fornecimento de implementos agrícola e de softwares modernos de logística e gestão está em visita ao Estado para identificar oportunidades de intercâmbio e, ao mesmo tempo, divulgar dois eventos em seu País: a Marmomacc International Trade Fair e a Expo Milano, que será realizados entre 29 de setembro e 5 de outubro próximos.

Os representantes italianos estiveram na Assembleia Legislativa conhecendo os trabalhos do Parlamento e foram recebidos, a convite do deputado estadual Enivaldo dos Anjos (PSD), presidente da Comissão Especial de Rochas Ornamentais, pelo diretor-executivo da Associação Noroeste de Produtores de Rochas Ornamentais, Mário Imbroisi, que narrou os desafios do setor que representa, principalmente com alto custo da energia no custo final do produto e a necessidade sempre de novas tecnologias, notadamente, software de redução de custos.

Ficou combinado que o grupo, que visitou o Estado pela primeira vez e restringiu-se a conhecer a região da Grande Vitória, retornará ao Espírito Santo nos próximos meses para visitar a principal região produtora de granito, o Noroeste. “Foi um encontro de aproximação, mas falaram de softwares que podem nos ajudar no controle da produção, com a adoção de chips. Isso ajuda muito na redução de custos”, disse Mário Imbroisi.

“Hoje, 100% dos equipamentos utilizados na indústria do mármore e granito é italiano. Eles têm expertise muito grande nisso, embora os chineses estejam chegando aos poucos, mas ainda muito longe de alcança-los”, acentuou.

Outra parte que agradou ao representante das indústrias foi saber que os italianos possuem capacidade tecnológica para completa mudança nas plantas de utilização de energia das unidades produtivas.

“Nossas máquinas são de alta tecnologia e já programadas para significativa economia de energia, mesmo assim este é um item que responde ainda por 25% no custo da produção. Tudo que vem para reduzir os custos é bem vindo”, disse Imbroisi.

Líder do grupo, Marcellino Pernigotto, da MMF Brazil, que já desenvolve atividades junto ao arranjo produtivo de vinhos no Rio Grande do Sul, mostrou-se animado com a possibilidade de estabelecer parcerias comerciais no Espírito Santo, não apenas com o segmento de rochas ornamentais, mas também da agricultura.

Está se falando de dois segmentos que representam mais de 40% do Produto Interno Bruto anual do Espírito Santo. Rochas Ornamentais respondem por 10,9% dessa economia e a agricultura por mais 30%.

DSC01950 DSC01949 DSC01948