Governo do ES anuncia retorno das aulas presenciais a partir de outubro

51

O governo do Espírito Santo anunciou a autorização da retomada das aulas presenciais para os estudantes da Educação Fundamental I e II e do Ensino Médio, a partir do dia 5 de outubro. A determinação vale para as instituições particulares localizadas nas cidades classificadas no risco baixo para o novo coronavírus. No mesmo dia também poderão retornar as atividades da Educação Infantil. Já o retorno do Ensino Fundamental e Médio das escolas estaduais e municipais voltarão a partir do dia 13.

A informação foi divulgada no final da tarde desta sexta-feira (25), pelo governador Renato Casagrande, durante uma coletiva de imprensa. As atividades presenciais nas escolas estavam suspensas desde o dia 17 de março, como forma de prevenir a proliferação da covid-19.

Com relação à Educação Infantil, o governo estadual finalizou nesta sexta-feira e vai publicar no Diário Oficial da próxima terça-feira (29) a portaria com o protocolo para o retorno das atividades desse nível. As atividades presenciais para o ensino infantil, tanto da rede particular quanto das municipais, poderão ser retomadas a partir do dia 5, mas apenas para o atendimento individual ou de pequenos grupos de crianças.

Já o retorno do Ensino Médio na rede estadual e da Educação Fundamental I e II nas redes municipais das cidades de baixo risco ocorrerá a partir do dia 13 de outubro, também seguindo os mesmos protocolos. O secretário estadual de Educação, Vitor de Angelo, explicou que a retomada das atividades presenciais nas escolas municipais foi definida em acordo com a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime).

“Em conversas anteriores com a Undime, que congrega os secretários municipais de Educação, ficou consensuado entre nós que, uma vez anunciada a volta, que é o que estamos fazendo hoje, nós, das redes públicas, voltaríamos 15 dias depois apenas, o que chega, portanto, na data de 13 de outubro. Isso porque a retomada dos contratos de alimentação e transporte, por exemplo, especialmente na rede pública estadual, são de complexidade muito superior quando isso acontece nas redes particulares”, ressaltou o secretário.

Com relação aos Ensinos Fundamental I e II do Estado, a retomada das aulas presenciais ocorrerá nas semanas seguintes, respeitando o intervalo de 15 dias entre o retorno de cada etapa. Dessa forma, duas semanas após o retorno do Ensino Médio, será retomado o Ensino Fundamental II e, 15 dias depois, o Fundamental I.

Tal sequência será reavaliada após 15 dias do retorno de cada etapa. A expectativa, portanto, é de que o retorno completo da rede estadual ocorra dentro de seis semanas.

“Voltaremos com o Ensino Médio e, no revezamento, a primeira metade numa semana e a outra metade na segunda semana. Será feita uma avaliação sobre a continuidade da volta e, então, a primeira metade do Fundamental II volta. Na semana seguinte, a outra metade. E, da mesma maneira, uma metade do Fundamental I volta e, na sequência, a outra metade. Com isso, em seis semanas teremos a volta de todas as etapas, de uma maneira muito cautelosa”, explicou Vitor de Angelo.

Modelo híbrido de ensino

No entanto, o efetivo retorno das aulas presenciais dependerá da decisão de cada escola particular e de cada município do risco baixo. Caso optem por retomar as atividades presenciais, as escolas devem oferecer ao aluno a opção de permanecer no ensino remoto. Portanto, os pais que não se sentirem seguros para enviar os filhos para a escola, estão autorizados a mantê-los em casa.

“Não estamos determinando o retorno. Estamos retirando restrições, retirando qualquer proibição. O Município define se pode retornar ou não, a escola privada define se pode retornar ou não. Se não quiserem retornar, continuarão com atividades remotas. É uma opção que nós estamos dando para os pais, para os alunos e também os diretores e dirigentes das escolas”, esclareceu Casagrande durante a coletiva.

O retorno das aulas, no caso dos ensinos Fundamental e Médio, também deverá obedecer ao protocolo estabelecido pelo governo do Estado, publicado no Diário Oficial do dia 8 de agosto. Dessa forma, será adotado um modelo híbrido para o retorno das atividades escolares —  parte presencial e parte à distância.

Isso significa que haverá rodízio entre os estudantes: em uma semana uma parte dos alunos voltará à sala de aula e a outra parte permanecerá no ensino remoto. Já na outra semana, as duas partes se revezam.

“Se definirem o retorno, o protocolo já está anunciado: semanas alternadas, grupos diferenciados — uma semana um grupo, na outra semana outro grupo — para diminuir o número de alunos nas escolas, todo o controle de temperatura, álcool em gel, produtos de higiene nos banheiros”, frisou o governador.

Segundo o governo do Estado, o Programa EscoLAR seguirá complementando as aulas presenciais e preenchendo o tempo da semana em que não terá aula presencial, com aulas remotas.

Casagrande também explicou que o retorno das aulas presenciais do Fundamental I e II da rede estadual ocorrerá mais para frente devido à grande quantidade de estudantes. “Nós temos um número muito maior de alunos, temos 230 mil alunos. As escolas particulares têm um número muito menor — pouco mais de 10% do que nós temos. Por isso, estamos dando passos mais cautelosos com relação à nossas escolas”, explicou.

Confira as datas dos retornos das atividades:

Rede Municipal (a partir do dia 13/10): municípios que quiserem retornar com as atividades, Ensino Fundamental I e II

Ensino Privado (a partir de 05/10): Ensino Fundamental I, II e o Ensino Médio

Rede Estadual: (a partir de 13/10): Ensino Médio

Educação Infantil: (a partir do dia 05/10): Protocolo com detalhes será publicado na próxima terça-feira (29)

Fonte: Folha Vitória