Funcionário de posto de saúde é preso por desviar vacinas contra H1N1 em Colatina

6185

colatinaUm auxiliar de enfermagem foi preso acusado de desviar cerca de 20 vacinas contra o vírus H1N1 da Policlínica Municipal de Colatina. As doses seriam destinadas a pessoas acamadas. A prisão aconteceu nesta sexta-feira (20), por volta das 17 horas. Foi em Colatina, Noroeste do Estado, que a primeira morte pela Síndrome Respiratória Aguda Grave foi registrada no Estado. Outras duas mortes são investigadas no município.

Valdeir Batista de Oliveira, de 49 anos, é concursado da Prefeitura Municipal de Colatina e trabalhava diretamente na aplicação de vacinas na Policlínica Municipal. Ele não quis gravar entrevista, mas para a Polícia Militar ele confessou que desviou as doses para aplicar em parentes.

O suspeito foi preso no bairro Moacyr Brotas com as doses. Junto com ele também foram apreendidos R$ 300 em dinheiro. Ele foi autuado em flagrante por furto.

“Denúncias anônimas afirmavam que ele teria desviado as vacinas da Policlínica e estaria aplicando em pessoas e recebendo um certo valor por isso. Ele confirmou que pegou o material, mas disse que era para aplicar em familiares”, afirma o Tenente Dankas.

A secretária municipal de Saúde, Débora Gatti, foi até a delegacia e explicou que foram destinadas 3 mil doses para a cidade na quinta-feira (19), mas que as vacinas acabaram no mesmo dia.

Débora afirma que a Prefeitura abrirá um processo administrativo e o funcionário pode ser exonerado do cargo. “Assim que ficamos sabendo fomos direto para a delegacia. A gente repudia completamente o fato. Vamos abrir um processo administrativo e vamos tomar todas as providências necessárias”, comenta.

A secretária garantiu que haverá um controle maior sobre as vacinas que chegam à Policlínica. “A gente já tem um certo controle das vacinas, mas vamos intensificar”, finaliza. Os frascos de vacina apreendidos com Valdeir não poderão ser reaproveitados, pois a vacina perde a eficácia se armazenada de forma inadequada.

Vacinação em Colatina

Segundo a Secretaria de Saúde de Colatina, foram vacinadas 31 mil pessoas dos grupos prioritários, o que corresponde à meta do município. No entanto, ela afirma que não foi possível vacinar todas as pessoas que estavam no grupo de risco.

“Nos anos anteriores muitos idosos não se vacinavam, eles tinham medo de alguma reação. Este ano por ser uma coisa que está assustando a população, tivemos uma adesão maior dos idosos na campanha. Ainda não há previsão de quando mais doses irão chegar na cidade”, afirma a secretária.

A primeira morte oficialmente confirmada por H1N1 no Espírito Santo foi em Colatina. A vítima era um homem de meia idade, morador de Governador Lindenberg, sem histórico de doenças crônicas. Outras duas mortes estão sob suspeita.

Fonte: gazetaonline

Foto: Raquel Lopes