“Fugi com o assassino do meu marido” afirma grávida que estava desaparecida em Colatina

646

23A mulher do motorista Valdeci de Oliveira, 39 anos, assassinado com um tiro na cabeça em Colatina, Noroeste do Estado, se apresentou ontem na Delegacia de Colatina. Renata Kelly Martins, 29, está grávida de oito meses. Ela diz que o ex-companheiro, pai do filho que ela está esperando, foi quem matou Valdeci.

Renata estava sumida desde sexta-feira (9), dia do crime. Em depoimento ao delegado Hedson Felix, ela disse que, naquele dia, o marido se arrumava para ir à igreja, quando o ex-companheiro dela aparece e gesticulou dizendo que queria falar com ela.

Renata disse que mandou uma mensagem para o ex, dizendo que o marido estava em casa e que não iria falar com ele, e ainda pediu que ele fosse embora. Às 21h, o ex apareceu de novo na casa dela e insistiu que precisava falar com ela.

O delegado relatou que a cabeleireira entrou no carro do ex, e ele disse para ela: “Renata, eu matei seu marido”. Disse ainda que a levaria dali para que nada acontecesse a ela. Os dois foram para Governador Valadares. A cabeleireira disse que foi porque quis.

Segundo Felix, Renata contou que há cerca de um ano ela se separou de Valdeci por problemas de convivência. Manteve um relacionamento com o suspeito e ficou grávida. Como o homem não assumiu a paternidade, ela voltou para Valdeci, que aceitou o bebê como se fosse dele, o que teria irritado o verdadeiro pai.

Ao delegado, ela relatou que o ex não contou detalhes do crime, e disse estar em choque. A polícia já pediu o mandado de prisão temporária do ex-companheiro de Renata. A mulher foi ouvida e liberada.

Quebra de sigilo

O delegado Hedson Felix disse que ainda vai investigar a mulher de Valdeci de Oliveira, Renata Kelly Martins. Ele vai pedir a quebra de sigilo telefônico, já que a cabeleireira disse que trocou mensagens com o suspeito no dia do crime.

Felix disse que Renata tinha voltado para o marido há poucos meses, mas contou que trocava mensagens com o ex. Ela disse que sempre que recebia as mensagens ou ligações do ex-companheiro, ela apagava, para Valdeci não vê-las.

A cabeleireira disse que estava com medo de um confronto entre os dois, porque o ex estava insatisfeito com a relação afetiva que Valdeci tinha com o bebê que ela está esperando. Como o tiro que matou Valdeci foi na nuca, o delegado não descarta a hipótese de ter mais uma pessoa no carro junto com a vítima. “Já temos o suspeito do crime, mas a dinâmica de como tudo aconteceu ainda não sabemos”.

Fonte: Gazeta online