Francisquense que sofreu estupro coletivo, levou 22 facadas e foi apedrejada em Guarapari, repercute em todo Estado

2766
Local onde ocorreu os fatos

A repercussão sobre o caso de uma jovem de Barra de São Francisco, que foi estuprada, apedrejada e ainda levou 22 facadas na localidade de Peroção em Guarapari ganhou manchetes nos maiores jornais e TV no Estado do Espirito Santo, além de sites e redes sociais (facebook).

Polícia Civil de Guarapari continua investigando um suposto estupro coletivo com tentativa de homicídio, ocorrido no último dia 17, no bairro Perocão em Guarapari. A vítima é uma jovem de 23 anos, W.C, natural de Barra de São Francisco, que está internada em estado grave no Hospital São Lucas, em Vitória.

De acordo com o titular da Delegacia de Crimes Contra a Vida (DCCV) de Guarapari, delegado Tarik Souki, além de ser estuprada, a jovem foi esfaqueada e agredida com pedradas. Quatro suspeitos são investigados pelo crime, sendo dois adultos e dois adolescentes.

Três dos quatro indivíduos foram conduzidos à delegacia quatro dias após o crime e prestaram depoimento. Em seguida, eles foram liberados.

Segundo informações coletadas pelo delegado, a vítima estava usando drogas junto com os suspeitos, no bairro Perocão. Em seguida, eles teriam decidido ir para um campo, próximo ao local em que estavam, para continuar a prática e também para terem relações sexuais. De acordo com Tarik Souki, dois dos suspeitos já estavam armados com facas, na intenção de assassinar a jovem.

Os suspeitos indicaram aos policiais onde estavam a pedra e a faca usadas no crime

Ainda em depoimento, os três suspeitos afirmaram à polícia que praticaram sexo com a jovem, porém com o consentimento dela. Em seguida, a vítima foi atingida com facadas e pedradas na cabeça. Segundo o delegado, os três suspeitos confessaram as agressões. Eles levaram a polícia ao local e mostraram onde estavam os objetos usados no crime.

“Os três confirmaram que praticaram sexo com a jovem, mas que ele teria acontecido com consentimento. Após uma discussão, dois deles começaram a golpear a vítima com facadas e, em seguida, revezaram entre eles os golpes. Além disso a atingiram com uma pedra na cabeça. Um deles chegou a estuprar a vítima mesmo após o ato de violência”, relatou o delegado.

A vítima passou por diversos exames periciais, para auxiliar no processo de investigação. Segundo Tarik Souki, as investigações sobre o caso continuam e a policia aguarda o resultado do laudo pericial.

O quarto suspeito de envolvimento no crime se apresentou à polícia na última quinta-feira (22), com a presença de um advogado, e negou a participação em todas as ações. De acordo com o delegado, os suspeitos estão em liberdade e poderão responder por tentativa de homicídio qualificado e estupro.