Familiares de Kauã fazem protesto em Camburi e pedem justiça pela morte dos irmãos em Linhares

812

Os familiares do menino Kauã Sales Butkovsky, de seis anos, morto junto com o irmão Joaquim Alves Sales, de três anos, em Linhares, realizaram um protesto na orla de Camburi, na manhã deste domingo (01/07/2018). Eles se emocionaram ao lembrar do caso, que aconteceu há dois meses.

O objetivo da manifestação era pedir leis mais rígidas para esse tipo de crime e alertar as autoridades para a prevenção de abusos contra crianças.

A concentração aconteceu na altura do bairro Jardim Camburi, em Vitória. Com camisas com fotos das crianças, cartazes e bolas brancas nas mãos, os manifestantes seguiram pela praia em direção ao primeiro pier.

O pai de Kauã, Rainy Butkovsky, disse que se sente aliviado com a prisão de Georgeval Alves e Juliana, mas para ele as leis para este tipo de crime ainda são brandas. Ele contou ainda que esses mais de dois meses sem o filho estão sendo de muita dor.

Outros casos também foram lembrados pelos manifestantes, como a morte da jovem Thayna, assassinada em março deste ano, e o crime envolvendo Araceli, morta há mais de 45 anos.

Kauã e Joaquim morreram após serem carbonizados durante um incêndio na casa onde moravam, no centro de Linhares, no dia 21 de abril deste ano. Dias depois o pai de Joaquim e padrasto de Kauã, Georgeval, foi preso. Já Juliana, mãe dos dois meninos, foi presa em Teófilo Otoni, Minas Gerais, e ainda não foi transferida para o Estado.

Fonte: folhavitoria