Exames nas unidades de radiologia é uma das preocupações de Enivaldo dos Anjos

1869

radiologiaUm Projeto Lei de autoria do deputado estadual Enivaldo dos Anjos (PSD), foi protocolado na Assembleia Legislativa, nesta segunda feira, 06/04/2015, que determina que todas as unidades de serviços de radiologia, públicas ou privadas, no âmbito do Estado do Espírito Santo, disponibilizem aos pacientes, aventais de proteção radiológica, protetores de tireoide e óculos plumbíferos com proteção frontal e lateral. Esta é uma das grandes preocupações do parlamentar.

Leiam na integra o projeto lei de Enivaldo dos Anjos

Os equipamentos de proteção mencionados devem ter as seguintes características:

I – Avental de proteção radiológica, fabricado com borracha plumbífera flexível com equivalência a 0,50 mm de chumbo.

II – Proteção de tireoide, fabricada com borracha plumbífera, com equivalência a 0,50 mm de chumbo, com acabamento em debrum.

III – Óculos com lentes plumbíferas, com armação em acrílico e proteção frontal e lateral (180º) e equivalência a 0,50 mm de chumbo.

Art. 2º O manto de proteção de que trata o artigo 1º deve ser fornecido, também, para realização de exame de raio-X em mamografia, o qual servirá para proteger o pescoço, sobre a área da tireoide, que é uma das partes mais atingidas e sensíveis à radiação.

Art. 3º Fica instituída a obrigatoriedade, no Estado do Espírito Santo, da fixação de avisos nos estabelecimentos de serviços radiológicos, em local visível, informando que é um direito do paciente exigir a proteção assegurada por esta lei.

A internet é uma das ferramentas de comunicação mais revolucionárias criadas pela humanidade. Tanto pode ser utilizada para o bem quanto para o mal. E uma das informações que mais circularam nos últimos anos na rede mundial de computadores dá conta de um possível efeito da radiação sobre a tireóide, durante os exames de mamografias, o que estaria contribuindo para o aumento da incidência de câncer entre as mulheres.

O tema ganhou maior amplitude, inclusive, na sociedade norte-americana, quando o Doutor em Medicina Mehmet Oz, o famoso “Doutor Oz”, fez um programa no canal de tevê Fox Live estabelecendo a possível relação da radiação com o aumento do câncer de tireoide.

Imediatamente, iniciou-se uma reação em cadeia da sociedade médica e o assunto ganhou tom de muita polêmica. A razão da incidência dessa radiação seria a omissão dos operadores de aparelhos de radiologia, tanto nos exames de mamografia quanto nos exames de raio-X dentário, no uso de um protetor de tireoide, uma pequena pestana, que pode ser levantada e encostada ao pescoço, cobrindo a glândula.

Doutor Oz foi taxativo quando disse que o câncer de tireoide é o de mais rápido avanço entre as mulheres e disse que o não uso do protetor se deve a interesses econômicos, orientado pelos patrões, donos de hospitais e clínicas, para reduzir custos.

Preocupado com essa informação, fui consultar uma médica amiga, pessoa que dedicou toda sua vida à atividade de saúde pública com zelo e abnegação. Essa médica, especialista em saúde da mulher, disse-me que o procedimento de não usar o protetor é comum nos serviços de radiologia, mas não estão relacionados com a redução de custos, e sim com negligência.

De acordo com essa médica, o protetor de tireoide, assim como o capote de chumbo, não gastam, porque têm um certo tempo de vida útil, usando ou não. Ou seja, estaria havendo descaso com a vida humana. Pesquisei e verifiquei que o tema é cercado de controvérsias.

Apesar do notório saber do Doutor Oz, houve muitas reações negativas. Diante da grande repercussão das palavras do Doutor Oz entre o público norte-americano, até mesmo prestigioso jornal The New York Times entrou no tema para acalmar os ânimos.

No Brasil, houve também manifestações. De acordo com a Comissão Nacional de Mamografia do Colégio Brasileiro de Radiologia, a ligação entre a mamografia e o câncer na tireoide não tem base cientifica, e apontou estudos mostrando que o exame não expõe a tireoide a doses consideradas nocivas.

Segundo a Comissão, na mamografia moderna há uma exposição insignificante para outros locais sensíveis à radiação que não seja a mama. O assunto poderia ser encerrado após a afirmação da Comissão Nacional de Mamografia do Colégio Brasileiro de Radiologia. Mas a dúvida que permanece na cabeça de muitas mulheres é: Por que ao se fazer qualquer exame de raios X, até mesmo de um dente, é preciso usar como proteção um avental de chumbo e, para a mamografia pode-se expor o corpo à radiação?

O professor de Mamografia e Controle de Qualidade da Faculdade LS, Edmário Brandão Leite, explica, que não se usa avental de chumbo em todo exame de raios X: “Em odontologia usa-se o protetor tiroidiano ou avental de chumbo pela proximidade dos órgãos e pelo número de dentes existentes. Quanto à mamografia, o feixe de radiação é colimado de maneira que só atinge a área de interesse, no caso, a mama”.

Entidades médicas dizem que o protetor pode até mesmo atrapalhar o exame de mamografia, mas o próprio professor Edmário Brandão Leite diz que o protetor de tireoide, quando bem colocado, não atrapalha o exame, pois o feixe primário de radiação é colimado e o tubo de raios X é instalado no equipamento de maneira que o feixe de radiação passa paralelo a todo tecido da parede toráxica.

Sendo assim, a relação entre mamografia e câncer na tireoide pode ser considerada um mito, já que o exame não interferiria diretamente na tireoide. Mas pode também não ser. Intrigado, voltei à médica de referência e falei sobre minha intenção de trazer o tema a esta Casa e ela foi textual: “Lógico que deve. Informação é sempre importante”.

Diante da dúvida, é melhor proteger a saúde de nossas mulheres. E esta não é uma preocupação minha de agora. Quando fui prefeito em Barra de São Francisco, de 1989 a 1992, um de nossos principais projetos foi a Casa da Mulher, que cuidava da saúde da mulher em todos os estágios da vida, mas principalmente daquelas que seriam ou são mães.

Diante disso, estou encaminhando uma indicação ao Secretário de Estado da Saúde para baixar uma Norma exigindo a utilização do protetor de tireoide como procedimento padrão em todas as unidades de serviços de radiologia, públicas ou privadas, do Espírito Santo, tanto nos exames de mamografia quanto de radiologia dentária.

Ao mesmo tempo, peço o apoio dos colegas para um Projeto de Lei que obrigue a fixação, em local visível desses estabelecimentos, serviços radiológicos e consultórios dentários, de um aviso às pacientes para que exijam o que lhes é de direito, ou seja, o uso do protetor de tireoide.