Enivaldo promove aproximação histórica de funcionários com Mesa Diretora

549

DSC02499“O senhor acaba de entrar para a história dos servidores da Assembleia Legislativa, estabelecendo um enorme avanço dessa Mesa Diretora”. Assim o presidente do Sindicato dos Servidores da Assembleia Legislativa e do Tribunal de Contas (Sindilegis), Leandro Machado, referiu-se ao deputado Enivaldo dos Anjos (PSD), 1º secretário do Legislativo estadual, que promoveu uma histórica reunião com servidores no plenário Dirceu Cardoso nesta quinta-feira (11).

O encontro foi para discutir o pagamento de uma dívida da Casa com os seus funcionários, decorrentes de 11,98% de perdas ocorridas na conversão do Cruzeiro Real para URV, em 2003, na implantação do Plano Real, e foi acompanhado por servidores das Assembleias de São Paulo, Minas Gerais, Paraíba, rio Grande do Sul, Rondônia e Rio de Janeiro, que participam em Vitória da reunião da União Nacional dos Legisladores e Legislativos (Unale).

Uma das deliberações da reunião foi pela convocação do Procurador Geral do Estado, Rodrigo Rabello Vieira, para que explique aos servidores do Legislativo porque o órgão insiste em dar pareceres contrários ao pagamento, depois que servidores do Tribunal de Justiça, do Tribunal de Contas e do Ministério Público receberam e, também, após todas as decisões da Justiça, inclusive do Supremo Tribunal Federal, terem sido favoráveis aos reclamantes.

A reunião com a presença do Procurador Geral do Estado foi marcada para a próxima quinta-feira, dia 18, às 9 horas, no plenário Dirceu Cardoso, que nesse encontro promovido pelo deputado Enivaldo dos Anjos estava lotado. O parlamentar foi muito aplaudido várias vezes, principalmente quando anunciou: “A Assembleia tem que pagar. Se não pagar, nós vamos se unir, fechar a Assembleia e fechar a rua”.

Foi formada também uma comissão de servidores, presidida pelo próprio deputado Enivaldo dos Anjos, que se reunirá mensalmente para discutir todas as questões relacionadas ao funcionalismo da Casa. O parlamentar quer, também, que os procuradores do Legislativo destinem um dia na semana para atender às demandas dos servidores.

O presidente do Sindilegis, Leandro Machado, disse que quanto mais demora maior fica a dívida com os servidores e que pelo menos 50 deles já morreram sem receber o que o Legislativo lhes deve. O último cálculo feito em abril de 2015 demonstra que o débito já chega a R$ 125,8 milhões.

Pelo regimento da Assembleia Legislativa, o 1º Secretário é o membro da Mesa Diretora a quem estão sujeitas as questões relacionadas aos servidores.