Enivaldo dos Anjos relembra luta por emancipação de Santa Maria de Jetibá

677

O município de Santa Maria de Jetibá comemora, neste dia 6 de maio, 29 anos de emancipação, ocorrida através da Lei Ordinária 4.067, sancionada em 1988. E o deputado Enivaldo dos Anjos (PSD), que na época estava em seu primeiro mandato parlamentar pelo PDT, relembra como foi o seu trabalho, junto com a população de Santa Maria e Garrafão, para que uma luta de quase 10 anos não continuasse sendo ignorada.

“Lembro bem que no dia 10 de outubro de 1987 recebi, em meu gabinete, uma comitiva de moradores da região trazendo um documento com milhares de assinaturas pedindo a emancipação. Era a terceira vez, em quase dez anos, que a população se mobilizava desta forma, e das duas vezes anteriores o processo foi arquivado. Imediatamente, solicitei o desarquivamento da documentação e assumi a luta dos moradores de Santa Maria de Jetibá. Sete meses depois, o novo município estava criado”, disse o deputado.

INÍCIO

Tudo começou em junho de 1979, quando chegou o primeiro pedido de emancipação em abaixo-assinado dos moradores do então distrito de Jetibá e Garrafão. Na época, o presidente da Assembleia Legislativa era o deputado Edson Machado e o chefe de Gabinete da Presidência era quase desconhecido vindo de Barra de São Francisco, Enivaldo dos Anjos.

“Foi a primeira vez que tive contato com o pessoal de Santa Maria de Jetibá”, disse Enivaldo, que, após alguns anos em Vitória, retornou à sua cidade, elegendo-se deputado estadual em 1986. No ano de 1983 havia sido feita mais uma tentativa de tocar em frente o processo, mas isso não foi bem sucedido e alguns meses depois a documentação estava de novo arquivada.

Quando Enivaldo dos Anjos assumiu seu mandato em 1987 a população de Santa Maria de Jetibá já sabia a quem procurar.

Houve nova mobilização, Enivaldo recebeu o abaixo-assinado, pediu o desarquivamento do processo e patrocinou, politicamente, a luta dos moradores de Santa Maria de Jetibá e Garrafão, até a vitória final, em maio de 1988. “Hoje, quando a gente vê o progresso de Santa Maria de Jetibá, dá uma alegria muito grande e uma satisfação de termos participado dessa luta dos moradores do município, uma gente muito trabalhadora e focada no desenvolvimento”, disse Enivaldo.

História Hoje com cerca de 40 mil habitantes, o município começou sua história com a chegada dos primeiros imigrantes procedentes da antiga Pomerânia, na Prússia, atual território da Polônia, entre os anos de 1872 e 1873.

Eram 4 mil pessoas dispostas a construir uma nova vida, longe das dificuldades da época na Europa. Enfrentando doenças tropicais, abandono, bichos peçonhentos, e a fúria dos índios botocudos, entraram nas matas fechadas e começaram a construir sua história, que hoje enche de orgulho o Estado do Espírito Santo.

Esses pomeranos construíram não apenas Jequitibá, no antigo território de Cachoeiro de Santa Leopoldina, mas espalharam-se pelo território capixaba e hoje somam pelo menos 120 mil descendentes, vivendo, trabalhando e construindo cultura e riqueza em vários municípios do Estado.

O aniversário desse próspero município é comemorado, desta quarta-feira (3) até o próximo domingo (7), com a 28ª Festa Pomerana, para perpetuar sua história e sua cultura.

A sede de Santa Maria de Jetibá fica a 700 metros de altitude, a quinta cidade mais elevada do Espírito Santo, de clima tropical de altitude. É um dos poucos municípios bilíngues do Brasil, onde se fala, além do português, também o pomerano, a exemplo de Laranja da Terra (ES), Pomerode (SC) e São Lourenço do sul, Arroio do Padre e Canguçu, todas no Rio Grande do Sul.

Vitória do povo – passo a passo 16.06.1979 – Protocolado primeiro abaixo assinado de eleitores residentes nos distritos de Jetibá e Garrafão requerendo à Assembleia Legislativa a sua emancipação de Santa Leopoldina. 04.10.1979 – A Comissão de Justiça e Redação da Ales recebe o pedido de emancipação dos eleitores de Jetibá e Garrafão.

01.01.1983 – O processo é arquivado pela Assembleia Legislativa.

19.04.1983 – Pedido o desarquivamento do processo, pelo deputado Jorge Daher Filho.

09.12.1983 – O processo de emancipação é, novamente, arquivado.

10.03.1987 – O deputado Enivaldo dos Anjos (PDT) recebe novo abaixo assinado dos eleitores de Santa Maria de Jetibá e Garrafão solicitando a emancipação. 10.03.1987 – O deputado Enivaldo dos Anjos (PDT) pede o desarquivamento do processo de emancipação de Santa Maria de Jetibá e Garrafão.

01.12.1987 – O processo anda rápido, sob o patrocínio do deputado Enivaldo dos Anjos (PDT), e a Assembleia publica no Diário Oficial o Decreto Legislativo 11/87 determinando a realização do plebiscito para a população de Santa Leopoldina decidir sobre o pedido de emancipação de Santa Maria de Jetibá.

20.03.1988 – Plebiscito realizado em Santa Leopoldina, pela Justiça Eleitoral, aprova a emancipação de Santa Maria de Jetibá e Garrafão: 4.405 votantes, sendo 4.129 SIM, 85 NÃO e 123 em branco.

06.05.1988 – Sancionada a Lei Ordinária 4067/88, que cria o novo município de Santa Maria de Jetibá, composto pela sede e pelo distrito de Garrafão (publicado no Diário Oficial de 10.05.1988).