Enivaldo dos Anjos pede providências para insegurança em Jaguaré

827

jaguaréMoradores de Jaguaré, no Norte do Estado, estão se organizando para fazerem patrulha armada em regiões rurais visando ao enfrentamento da onda de assaltos no município. A informação veio a público na última quinta-feira(7), quando a Comissão de Segurança da Assembleia Legislativa, presidida pelo deputado Euclério Sampaio, reuniu-se com a comunidade.

Desde meados de abril, quando tomou conhecimento do clima de insegurança generalizada no município de Jaguaré, o deputado estadual Enivaldo dos Anjos (PSD) fez um requerimento ao secretário de Estado da Segurança Pública, André Garcia, solicitando providências para garantir a tranquilidade da comunidade, tanto urbana quanto rural.

No documento, Enivaldo dos Anjos narrou ter recebido, “com indignação e preocupação”, o relato de moradores do município de Jaguaré sobre “a ocorrência de assaltos à luz do dia em bairros e comunidades antes considerados paraísos de tranquilidade”.

Por isso, solicitou imediatas providências “para reforçar a segurança” no município, ao mesmo tempo em que solicitou uma agenda para a realização de audiência pública na cidade, reunindo as lideranças comunitárias e populares, para ouvir os relatos e discutir propostas para enfrentar, “junto com a própria comunidade, os graves problemas que estão ocorrendo”.

De acordo com o deputado, “os relatos são muito graves, com informações de que as comunidades, tanto nas áreas urbanas quanto rurais, estão ficando reféns de traficantes de drogas. O mais preocupante é que, confidencialmente, os moradores dizem que esses traficantes têm proteção de políticos e até mesmo de policiais, com a formação de milícias informais”.

Na ocasião, o parlamentar levou ao secretário o caso da moradora Thais Zanelato, residente na comunidade do Palmito, que fica as margens da BR 101 Norte, que, desesperada, publicou em sua página de relacionamento do Facebook uma denúncia de mais de dez assaltos em menos de um mês, alguns deles em plena luz do dia, e a existência de toque de recolher nas comunidades a partir das 18 horas.

Por causa disso, o deputado solicitou “proteção especial para a moradora Thais Zanelato, que, a partir da publicação no Facebook, passa a ficar exposta a retaliações dos criminosos”.

O solicitação do deputado já vai completar um mês e, até esta segunda-feira (11), seu gabinete ainda não havia recebido qualquer manifestação da Secretaria de Segurança.