Enivaldo dos Anjos defende a permanência de sargentos na região do 11º BPM de Barra de São Francisco

481

21O deputado estadual Enivaldo dos Anjos (PSD), recebeu um oficio assinado pelos 13 vereadores da câmara municipal de Barra de São Francisco, dando a informação de que 33 sargentos da polícia militar destacados na área de abrangência do 11º BPM da região Noroeste do Estado estão na lista de transferência para outras cidades da região Sul do Estado.

Os vereadores pedem o apoio ao deputado Enivaldo dos Anjos para intervir junto ao secretário de Segurança sobre sua decisão, que para os vereadores não foi elegante com os militares. O deputado Enivldo entrou no caso, e, até usou a tribuna daquela casa de leis.

“As permanências dos 33 sargentos na região de abrangência do 11º BPM foram defendidas pelo parlamentar na tribuna da Assembleia Legislativa, e disse que não tem justificativa para que o secretário de Estado de Segurança tomasse tal iniciativa.

“Peço ao secretário de Segurança para dar explicações de sua decisão, ao resolver fazer de uma hora para a outra a transferência de 33 sargentos do 11º BPM para outras localidades”, cobra Dos Anjos. “Por qual motivo o secretário de Segurança resolveu retirá-los daquele Batalhão? Não entendemos o que motivou ele a tomar tal atitude”, desabafa o deputado.

“Esses 33 sargentos já residem naquela região do 11º BPM com seus familiares, conhecem todo sistema de trabalho e de segurança de cada cidade. Eles estão integrados com as comunidades, com as lideranças políticas, religiosas e comunitárias, então eu não entendo qual o problema para retira-los daquela e região para mandar outros sargentos, nenhum dos que virão para o 11º BPM deva conhecer a região Noroeste e com isso prejudicaria todo um trabalho já integrado em cada cidade”, avisa Enivaldo dos Anjo.

“Onde está o raciocínio do secretário, ele deve dar uma explicação para a decisão, pois os 33 sargentos estão plenamente ambientados com o serviço do 11º BPM, e se eles forem retirados, vai prejudicar o trabalho da polícia militar, pois até os outros que por ventura venham a se adaptar ao novo sistema, as comunidades poderão ficar prejudicadas”, disse Enivaldo.

“Até os novos sargentos reconhecer os novos locais de trabalho no Noroeste vai demorar meses, se fosse dois ou três, até caberia uma justificativa, mas qual é a lógica para a retirada de 33 sargentos?”.

“Vai prejudicar todo um trabalho realizado na área do 11º BPM. Qual critério? Qual interesse? Até os comerciantes estão reclamando, vai atrasar o trabalho, pois esses sargentos têm filhos nos colégios e residência fixa. Faço um apelo para que o secretário dê explicação, qual a razão para retirar 33 sargentos? Não há necessidade de retira-los, a não ser devido a lei. O secretário precisa dar sua justificativa a sociedade e nós não vamos aceitar essa imposição”, encerra Enivaldo.