Enivaldo alerta para risco de alunos no policiamento ostensivo sem nomeação

587

 

Enivaldo dos Anjos, deputado estadual
Enivaldo dos Anjos, deputado estadual

“O Estado poderá gastar muito mais no futuro, se colocar os alunos soldados no policiamento ostensivo, do que se fizer logo a formatura e nomear os novos soldados da Polícia Militar na forma como está na convocação do edital”. O alerta é do deputado Enivaldo dos Anjos (PSD) na tarde desta sexta-feira (29), ao saber que o Comando da Polícia Militar e a Secretaria de Segurança Pública anunciaram, oficialmente, o adiamento da formatura, que poderá ser realizada somente em novembro, com os novos soldados somente recebendo na folha de janeiro de 2016.

Na próxima semana, Enivaldo dos Anjos vai se pronunciar da tribuna da Assembleia sobre o assunto, mas já antecipou, que embora acredite que o Governo encontrará uma solução adequada, se o assunto chegar ao Legislativo vai se posicionar favorável à imediata nomeação dos novos policiais militares.

De acordo com o blog do jornalista Elimar Côrtes, que já havia antecipado o assunto desde o dia 22 deste mês, o secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social, André Garcia, e o comandante- geral da Polícia Militar, coronel Marcos Antônio de Souza do Nascimento, fizeram, na manhã desta quinta-feira (28/05), uma visita aos alunos do Curso de Formação de Soldados (CFSd), no Centro de Formação e Aperfeiçoamento da PM, em Cariacica, dar a notícia: a formatura dos mais de mil novos soldados vai ser mesmo adiada de julho para novembro.

Segundo o blog, eram 11 horas quando André Garcia e o coronel Marcos do Nascimento chegaram ao CFA. Reuniram-se primeiro com dirigentes da unidade. Logo em seguida, foram para o pátio, onde os alunos-soldados estavam em forma. O comandante- geral da PM foi o primeiro a falar. Meio constrangido, o coronel Marcos do Nascimento deu a introdução do assunto.

Oscilante e até gaguejando, o que não é de seu feitio, ele falou da “crise financeira” apregoada pelo governador Paulo Hartung. Depois, deu a palavra ao secretário André Garcia. Mais cenas de constrangimento. Garcia permitiu, porém, que a tropa ficasse a vontade para ouvir suas explicações. O secretário culpou “a situação crítica do Estado” pelo adiamento da formatura dos mais de mil alunos-soldados, que seria no dia 15 de julho e passou para novembro.

De acordo com oficiais, praças e alunos-soldados que mantiveram contato com o Blog do Elimar Côrtes, o secretário André Garcia deixou claro que, se a formatura acontecesse conforme prevê o edital do concurso, aberto em 2014, a folha de pagamento da Polícia Militar ultrapassaria o limite da Lei de Responsabilidade Fiscal. “Pelas palavras que disse, o secretário deu a entender que o dinheiro para pagar o salário dos alunos-soldados a partir de julho não estava no orçamento do Estado para este ano. Uma hipótese muito difícil de ocorrer”, comentou um aluno-soldado.

Curiosamente, André Garcia era o secretário de Segurança do governo de Renato Casagrande quando o edital foi lançado. Ele ocupa o cargo desde março de 2013. Esta é a segunda turma do concurso de 2014. O Curso de Formação de Soldados (CFSd) da Polícia Militar teve início em 24 de novembro de 2014, com previsão de término em 15 de julho de 2015.

Após Paulo Hartung assumir o governo e decretar algumas medidas de contenção de despesas, veio a decisão de adiar a formatura. Um aluno-soldado recebe ajuda de custo de R$ 1.100,00; já o soldado, formado, tem salário de R$ 2.631,97. O secretário de Segurança, André Garcia, passou alguns dados financeiros para os alunos-soldados. Mas a fala dele não transmitiu segurança para a tropa.

“Já ouvi o secretário André Garcia se manifestar por várias ocasiões. Ele sempre foi eloquente em suas palavras. Desta vez, porém, ele e o comandante-geral não passaram tanta segurança em suas colocações. Eles estavam muito oscilantes e até gaguejando”, comentou um instrutor, que é oficial da PM.

A reação dos alunos-soldados, após o pronunciamento do secretário André Garcia, foi de tristeza. “Apesar de confiarmos nas informações do Blog do Elimar Côrtes, que já havia anunciado sobre o adiamento da formatura, ainda havia em nossas mentes um pouco de esperança de que o governo Hartung reverteria a situação. Infelizmente, isso não aconteceu”, disse um aluno-soldado.

Esta quinta-feira foi o último dia de prova teórica. A ordem dada pelo comando do CFA é para que os alunos-soldados continuem comparecendo à unidade. No entanto, muitos alunos-soldados esbarram na dificuldade financeira. Há alunos passando necessidade em casa. Para estes, o pelotão tem fornecido alimentação para que eles levem para suas famílias. Há alunos também ajudando outros com dinheiro.