Enivaldo afirma que a Samarco não está preocupada com crime ambiental

399

DSC02622O deputado estadual Enivaldo dos Anjos (PSD) voltou a atacar, na manhã de hoje, 18/11/2015, na sessão ordinária da Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales), a irresponsabilidade da Samarco Mineração no episódio do rompimento da barragem de Mariana.

Ontem, dia 17/11/2015, quando diretores da empresa estiveram reunidos com membros da Comissão de Deputados criada para acompanhar a situação, ele chamou os diretores de “criminosos”.

Hoje pela manhã, Enivaldo disse que a empresa teve a “audácia” de vir até a Ales para fazer relatório de distribuição de água. “Esse é um país de brincadeira onde as questões levadas a sério são apenas os pequenos crimes, cometidos pelas pessoas de baixa renda, os poderosos não são questionados em nada”, disparou.

Enivaldo salientou que, enquanto um diretor estava mentindo para a comissão, dizendo que não havia risco de rompimento das outras duas barragens em Mariana, outros diretores da Samarco admitiam, em rede nacional, que as barragens estão sim, com risco de rompimento.

“É demonstração clara de que eles estavam cometendo um crime ao construírem aquelas barragens. Lá não existe alarme e nem mesmo um programa de evacuação da população em caso de rompimento. E pior, agora a Samarco comprou meia dúzia de pessoas em Mariana, para desfilarem com faixas pedindo que a empresa não saia de lá. E até aqui no Espírito Santo tem gente defendendo essa empresa”, critica.

Por fim, Enivaldo salientou que a tragédia pode atingir até mesmo os recifes de corais do santuário de Abrolhos. A região é uma das mais importantes para o ecossistema do Brasil e trabalha com ações de proteção a golfinhos e tartarugas ameaçadas que vivem e se reproduzem apenas naqueles corais.

“Se a lama chegar aos corais de Abrolhos e impedi-los de respirar, serão milhares de anos de recuperação”, disse ao O Globo o professor da Universidade Federal do Espírito Santo Agnaldo Martins.