Empresas que corre risco de levar calote recebeu até cheque sem fundo da prefeitura de Barra de São Francisco

658

 

predio-prefeituraDepois de ter cancelado contrato com as empresas Libra e Ambiental e não ter pago a elas a que tem direito, a prefeitura de Barra de São Francisco com seguiu uma façanha inédita ao passar um cheque sem fundo a uma das empresas em questão. A dívida da prefeitura com as empresas tem crescido como água de morro abaixo e fogo de morro acima.

O que era uma dívida de cerca de R$ 7 milhões deixada pela administração anterior se acumulou em dois anos e meio do gestor atual, uma vez que o atual prefeito também não pagou e o débito hoje está em quase R$ 25 milhões de reais. A fama de mal pagador por parte do atual administrador tem trazido sérios transtornos, tanto para quem pensa em investir no município, bem como para os fornecedores que ficam com um pé atrás e outra na frente na hora de negociar com a prefeitura.

“O ex-prefeito Waldeles Cavalcante (PSC) foi homem com a nossa empresa, pagou rigorosamente em dia. Os R$ 7 milhões que ficou pendente e não pago não foi culpa dele, pois, o dinheiro para pagar tinha em conta, só não foi pago porque os vereadores não aprovaram suplementação”, disse o representante da empresa.

A Câmara Municipal de Barra de São Francisco pediu informações por escrito ao representante da empresa sobre o cheque sem fundo passado pela prefeitura, e aguarda resposta. O Ministério Público poderá tomar a mesma medida, ou seja, solicitar a cópia do cheque, bem como de outros documentos necessários para desvendar esse impasse.

Entenda o caso

O advogado e radialista Elvécio Andrade saiu em defesa de vários ex-funcionários da prefeitura de Barra de São Francisco que estão sendo enrolados pelo prefeito Luciano Pereirinha (DEM) e não conseguem receber a que tem direito a quase três anos.

Esse tempo todo os ex-servidores já passaram por tudo, desde a humilhação e até perseguição. Elvécio faz a diferença, pois quem deveria fazer este papel seria os vereadores, que em sua maioria defendem uma administração fracassada e com status de mal pagador.

Assim descreve Elvécio Andrade: Ele (Pereirinha) não -pagou porque é pirracento, pois o prefeito Waldeles deixou dinheiro em caixa para efetuar o pagamento. Ele, Waldeles Cavalcante, só não pagou na época, porque os vereadores da época, para fazer média com esse prefeito ruim e perseguidor, não votaram a dotação, mas o dinheiro ficou depositado.

Nas ações, o prefeito (Pereirinha) sempre tenta jogar a culpa do não pagamento no ex-prefeito, mas se dá mal, pois provo com balancete da prefeitura e extrato bancário que o dinheiro existia, num total de mais de R$ 7 milhões. Resta saber onde o prefeito enfiou todo esse dinheiro, já que não efetuou o pagamento do pessoal!

Uma perguntar não quer se calar: onde estão a maioria dos vereadores aliados do prefeito que tentam a todo custo blinda-lo?