Empresas de combustível na mira da CPI da Sonegação da Assembleia Legislativa

841

66Três empresas de distribuição de combustíveis, que aparecem na lista dos maiores sonegadores de ICMS enviada, sob sigilo, pela Secretaria de Estado da Fazenda à CPI da Sonegação de Tributos, serão convocadas pelos deputados para depor na próxima terça-feira (27), no plenário Dirceu Cardoso.

Na sessão desta terça-feira (20/10/2015), foi deliberada a convocação dos representantes das empresas Santa Cruz Combustíveis Ltda, Pinheiros Transporte e Revenda de Combustíveis e Jomar Distribuidora de Petróleo, além do titular da Delegacia Fazendária, Germano Henrique Pedrosa, para explicar como é feito o combate à sonegação pelas empresas de combustíveis bem como às ligações clandestinas de TV a Cabo.

“O Brasil tem cerca de quatro a cinco milhões de consumidores que fazem ‘gato” (ligações clandestinas) para não pagar a mensalidade da TV a Cabo e internet”. A afirmação foi feita na manhã desta terça-feira (20), CPI da Sonegação de Tributos, pelo empresário Ricardo Emílio Grilli, representante das empresas RCA TV Norte e RCA Company de Telecomunicações.

Grilli tentou explicar aos deputados porque está questionando na Justiça a ação de cobrança de que sua empresa é alvo por parte do Estado e acentuou que não questiona o ICMS, mas uma multa que está sendo aplicada, de 1.500% sobre o valor devido.

O empresário informou à CPI que o Espírito Santo e o Rio de Janeiro são os Estados onde há o maior problema de ligações clandestinas de TV a cabo e internet. “No Rio de Janeiro a situação é muito grave, pois os ‘gatos’ estão, em sua maior parte, nas comunidades, onde nem a polícia consegue entrar”.

Ele disse que o problema do ‘gato’ é endêmico na América do Sul. “Do México para baixo, todo mundo faz”, lamenta. Grilli disse ainda que a queda de receita das empresas de Tv a cabo é provocada também pelas “AZ Box”, que são caixas ilegais de recepção de sinal de satélite e pela inadimplência, que fica em torno de 15%.

Convocações

A Comissão deliberou favorável ao pedido do deputado Enivaldo dos Anjos (PSD), presidente da CPI, para envio de ofício à Procuradoria Geral do Estado (PGE) informando que no Portal da Transparência não consta a lista de salários pagos aos procuradores, inclusive com os valores de “sucumbência”.

Ele quer a listagem completa dos procuradores que receberam honorários nos últimos cinco anos. Dos Anjos também colocou em votação o envio de ofício à secretária de Recursos Humanos do Estado, Daisy Lemos, para que mande cópias de todos os contratos de link para internet com a OI nos últimos três anos.

“Temos informações de que essa empresa (OI) cobra valores até dez vezes mais caros do que outras empresas similares, o que causa grande prejuízo ao Estado”, disse Enivaldo.

67