Dono de pátio nega remoção de motos com picapes na região noroeste do Estado

492

500

A CPI da Máfia dos Guinchos, na Assembleia Legislativa, ouviu na sessão desta segunda-feira (21) o tenente-coronel da PM Evandro Teodoro da Silva, ex-comandante do 12º Batalhão de Polícia Militar (BPM), sediado em Linhares. Evandro é acusado de coagir um radialista de Barra de São Francisco a prestar depoimento depois de o jornalista noticiar sobre possível envolvimento de policiais militares da região na apreensão e remoção de veículos.

Evandro negou. “Foi para auxiliar a minha apuração”, disse o tenente-coronel. A justificativa não convenceu o presidente da CPI, Enivaldo dos Anjos (PSD). Segundo o deputado, a polícia militar chegou na emissora e colocou o jornalista dentro da viatura para conduzi-lo ao 11º BPM para prestar depoimento, atitude que Enivaldo qualificou como “detenção de jornalistas para depor”. “O senhor conhece a lei de imprensa?”, disparou Enivaldo para o oficial.

“A polícia, ao invés de prender jornalista, por que não age contra essa ilegalidade”, disse, referindo-se ao conluio entre autoridades e donos de pátios para apreensão arbitrária de veículos.

A CPI também ouviu Vinícius Justiniano Farias, sócio-proprietário do Pátio Locação Veículos Venecianos Ltda, cuja área de abrangência reúne São Gabriel da Palha, Vila Valério, Vila Pavão, Boa Esperança, Pinheiros, Montanha, Mucurici, Ponto Belo, Pedro Canário e distritos de alguns desses municípios. Justiniano depôs em agosto, quando a comissão recebeu denúncias da atuação arbitrária de uma Saveiro na remoção de motocicletas na região.

Justiniano voltou à CPI em função de novas denúncias de que a Saveiro estaria atuando em Vila Valério. O dono do Locação negou a acusação. Disse que tomou as providências e que não opera mais apreensões com a Saveiro. Acrescentou ainda que há três meses não recebe pagamento do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-ES). A comissão aprovou envio de ofício para o órgão solicitando relatório sobre os pagamentos aos pátios e a média dos pagamentos a cada um.

Sobre o possível conluio entre autoridades e donos de pátio, Oliveira disse desconhecer esse tipo de conduta na região.

O proprietário da empresa Guardauto Remoções e Guarda de Veículos, Norival Gomes da Cruz, que também foi convocado pelo colegiado, não compareceu à reunião e não justificou a ausência.

Para a próxima reunião o colegiado aprovou o convite a diretores dos Sindicatos de Taxistas de Vitória, Vila Velha, Cariacica, Guarapari, Serra, Fundão e Viana, que compreendem a região metropolitana. O objetivo é saber como é feito o credenciamento para liberação de concessão de taxi nos municípios.

Fiscalização

A CPI da Máfia dos Guinchos, instalada para apurar supostas irregularidades nos serviços de guincho no Estado, tem recebido informações de autoridades de trânsito, empresas rebocadoras de veículos e proprietários de pátios credenciados pelo Detran-ES e também de cidadãos, proprietários de veículos guinchados e guardados em pátios no Estado, bem como de outros constrangimentos no âmbito do trânsito urbano, como supostas perseguições a taxistas.

Se você conhece alguma irregularidade sobre estacionamentos públicos no Estado, envie as informações à comissão pelo endereço eletrônico contramafiadoguincho@gmail.com.

501