Dois jovens foram executados a tiros em festa funk em Colatina

1246

43Dois rapazes foram executados com mais de 10 tiros durante uma festa funk clandestina no quintal de uma casa no Bairro Novo Horizonte, em Colatina. O duplo homicídio aconteceu por volta das 20h30min, de sexta-feira, 14/08/2015. Os dois jovens eram amigos e morreram caídos um em cima do outro, após serem baleados pelo atirador.

Matheus Rodrigues de Barros, 21 anos e Thiago Rodrigues Mendes, 16 anos morreram na hora pelos tiros disparados a curta distância. Segundo informações da Polícia Militar quatro homens foram presos dentro de taxi logo após o crime, um deles de posse de uma pistola suja de sangue.

A polícia destacou que cerca de 30 pessoas participavam da festa ‘americana’ regada ao som do funk quando um homem identificado apenas como ‘Ricardo’ chegou ao local, pagou R$ 10 para entrar e ficou apenas 10 minutos e saiu.

De acordo com a Polícia Militar depois pulou o muro do quintal, se aproximou das vítimas que estavam sentadas e disparou a arma primeiro contra a cabeça das vítimas. Logo após pulou o muro de volta e fugiu.

A polícia divulgou ainda que os peritos da Polícia Civil encontraram no corpo de Thiago, o Baiano três papelotes de cocaína, uma bucha de maconha e um revólver calibre 22.

Pouco depois no cerco feito para prender o matador, os policiais abordaram o táxi perto de uma boate com os quatro passageiros dois deles menores de idade que estava na festinha.

Na revista foi achado com um dos ocupantes Bruno Rodrigues Brant, 20 anos a pistola 380 manchada de sangue. Os quatro foram conduzidos a 15ª Delegacia Regional de Colatina. Bruno contou no seu depoimento que a arma pertencia a Matheus e pegou a arma junto a corpo e ia para casa.

Os jovens detidos confirmaram que eram amigos das vítimas. Três rapazes foram ouvidos e liberados depois de comprovado que não tinham ligação com o crime.

Já Bruno Brant foi preso em flagrante por posse ilegal de arma de fogo e levado para o Centro de Detenção Provisória de Colatina (CDP). O Serviço de Inteligência da Polícia Militar suspeita que o motivo do crime teria sido provocado por desentendimento no acerto de contas no tráfico de drogas. O suspeito não foi localizado.