Dois avôs são presos acusados de estuprarem quatro netos

842

vargem altaDois homens, de 59 e 52 anos, foram presos temporariamente suspeitos de terem abusado sexualmente dos netos, em Vargem Alta, no Sul do Estado. Os mandados de prisão foram cumpridos em uma operação realizada na manhã desta sexta-feira (13).

Segundo o delegado do município, Vladison Bezerra, o homem de 52 anos foi preso na localidade de Castelinho, zona rural do município. A suspeita é de que ele estaria abusando das netas 9 e 10 anos e de um neto, de 3 anos.

“Ele já havia sido condenado por ter estuprado a filha de 14 anos. Cumpriu quatro anos de pena em clínica de sanidade mental em Vitória e foi liberado por bom comportamento”, afirma. Apesar da condenação no passado, em que foi constatado o abuso, o acusado permanecia morando com a família. À polícia, ele negou ter molestado as menores.

Já em Richimont, outra localidade do interior de Vargem Alta, o homem de 59 anos também foi preso por suspeita de ter molestado a neta de 7 anos. O caso, segundo o delegado, teria acontecido no ano passado.

Além de investigadores da Polícia Civil, a Operação Vigilância contou com o apoio da Promotoria de Justiça e do Conselho Tutelar de Vargem Alta. “A Operação Vigilância não acabou e outros mandados de prisão por crimes de estupro de vulnerável ainda serão cumpridos”.

Os acusados foram encaminhados para a Delegacia de Vargem Alta e conduzidos para o Centro de Detenção Provisória de Cachoeiro de Itapemirim.

Casos são constantes no município

Ainda segundo o delegado, muitos casos de abusos foram denunciados neste ano. Quem confirma é o Conselho Tutelar do município. Segundo a conselheira Alessandra Fassarela, somente neste ano, 20 novos casos chegaram ao órgão.

“O município sempre teve uma incidência alta de casos suspeitos de abusos sexuais. Às vezes, o mesmo autor é denunciado por mais de uma vítima”, conta a conselheira. Ela comenta também que os casos sempre acontecem com pessoas próximas ao menor, a exemplo de tios, avôs e padrastos, e, em todas as classes sociais.

A conselheira reforça ainda que o trabalho do órgão tem sido eficaz e intensificado nas escolas e Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), com palestras. “Os pais devem ficar atentos às mudanças de comportamento da criança, que se alteram quando são de alguma forma abusadas. Insônia, medo de ficar sozinha no escuro e baixo rendimento escolar são fatores que podem indicar estes casos”, comenta.

As denúncias no município podem ser feitas pelo telefone (28) 3528-1509 ou (28)99989-1114.

Fonte: gazetaonline