Detran terá que explicar moto apreendida sem ocorrência policial em seu pátio

847

DSC03914O presidente da CPI da Máfia dos Guinchos, Enivaldo dos Anjos (PSD) vai providenciar um advogado externo à Assembleia Legislativa (Ales) para cuidar do caso do motoboy de Guarapari, Clébio Dias Bertoldi, que teve sua mota furtada na porta de sua casa, no final de 2013 e a encontrou, em um pátio credenciado do Detran, em junho deste ano, sem registro de ocorrência policial.

Bertoldi foi um dos últimos a ser ouvido hoje, dia 31/08/2015, pela manhã na sessão semanal da CPI da Máfia dos Guinchos. Antes foram ouvidos os presidentes de associações de moradores de Vitória, que opinaram sobre a implantação do sistema de estacionamento rotativo na capital capixaba.

Bertoldi entregou à comissão vários documentos, onde denuncia que teve sua moto, uma Honda Fazer preta, placa MRB-1608, roubada na porta da sua casa, em Guarapari, no final de 2013. A moto foi localizada por ele em um pátio do Detran, em junho deste ano.

De acordo com Bertoldi, no Detran ele recebeu a informação de que a moto teria sido apreendida em outubro do ano passado, mas não consta no órgão e nem na Polícia Militar ou Civil, nenhuma ocorrência da apreensão da mesma.

Após a oitiva da CPI, ficou decidido que o motoboy vai esperar o auto de infração ou outro documento do Detran que lhe dê garantia de que é realmente a sua moto que está apreendida.

Ele quer que o Detran lhe devolva a moto no estado em que se encontrava, já que ela era seu único sustento. Bertoldi disse que o veículo está todo depenado e que não tem como recebe-lo da forma em que se encontra.

“Eu preciso saber como é que a moto foi parar nos pátios do Detran e eles não têm ocorrência do roubo e nem sabem como é que ela foi parar lá”, reclama. O funcionário do Detran, Jadir, que estava presente na CPI, disse que parte do problema com a moto de Bertoldi acontece porque ela deve ter sido retirada do pátio de Guarapari após o descredenciamento do mesmo.

“O pátio de Guarapari foi descredenciado por causa de diversas irregularidades e os veículos que lá estavam foram removido para o pátio central do Detran”, explicou Jadir, emendando que, no caso de veículos em que a origem do mesmo seja desconhecida, eles fazem o registro do mesmo e notificam o dono.

O fato de o Detran não ter conhecimento de como a moto foi parar no pátio levou o presidente da CPI a criticar duramente o órgão. “O Detran é uma bagunça, não tem controle sobre nada”, disse.

Multa

Outro depoente da CPI, Gilberto Pereira da Penha, denunciou um guarda municipal que multou seu veículo por “estacionamento irregular” alegando que o mesmo estaria a menos de cinco metros do cruzamento e ameaçou guincha-lo.

De acordo com Gilberto, ao ser questionado sobre a falta de sinalização e mesmo sobre a multa, o guarda permitiu que ele retirasse o veículo, mas evadiu-se do local onde efetuou a multa. “Eu voltei lá e fotografei o local – em frente à Rede Tribuna, na avenida Paulino Muller – para provar que estava em local correto”, disse Gilberto, assegurando que nunca foi multado na vida.

Associações de moradores criticam falta de diálogo com prefeito de Vitória Dos cinco presidentes de associações de moradores de Vitória convidados a depor na CPI hoje, três fizeram pesadas críticas ao prefeito de Vitória, Luciano Resende, pela “falta de diálogo” com as comunidades.

Outros dois, ambos ligados politicamente ao prefeito, elogiaram a implantação do rotativo. Eles foram convidados a depor na CPI porque o secretário de Segurança Urbana de Vitória, coronel Frônzio Calheira, afirmou na comissão que as comunidades estão sendo ouvidos antes da implantação dos estacionamentos rotativos em seus bairros e que todos aprovam o sistema.

A primeira a depor foi a presidente da Associação de Moradores da Região do Centro de Vitória, Amélia penha Nunes, que afirmou que a própria população do centro é que reivindicou os parquímetros, devido ao grande número de flanelinhas que atuavam no local e também por reivindicação dos comerciantes do centro, que alegavam falta de clientes por falta de vagas de estacionamento.

Amélia é assessora de um vereador do mesmo partido do prefeito na Câmara Municipal e disse que o prefeito se reuniu com os moradores do centro a pedido dela. Ela foi contestada pelo presidente do Conselho Popular de Vitória (CPV), Robson Willian Almeida Costa, que disse que o problema dos flanelinhas persiste no centro e continuam faltando vagas.

De acordo com ele, agora o proprietário de veículo que estaciona no centro tem que pagar o rotativo e ainda “contribuir” com o flanelinha, para não correr o risco de ter seu veículo depredado.

O presidente da Associação de Moradores de Bento Ferreira, Paulo Roberto Marangoni, também criticou a falta de diálogo com o prefeito e disse que hoje o maior problema do bairro são os flanelinhas, mas reconheceu que eles estão lá por falta de políticas públicas da prefeitura de Vitória para dar-lhes formação profissional e retirá-los das ruas.

Ele disse que o estacionamento rotativo poderá ser aceito pela comunidade em função do problema dos flanelinhas. O presidente da Associação de Moradores do bairro Jardim da Penha, Fabrício Pancotto, disse que os moradores do seu bairro também não estão interessados em ter o rotativo no bairro, mas assegura que nunca foram consultados pelo prefeito sobre este assunto e nenhum outro.

“O prefeito administra pelo facebook e tem feito muito pouco ou quase nada pela cidade”, sustenta. Subsecretário de Governo de Vitória É também presidente de Jardim Camburi

O presidente da CPI da Máfia dos Guinchos, Enivaldo dos Anjos, criticou duramente um dos convidados a depor na comissão, o presidente da Associação de Moradores de Jardim Camburi, Anael Rodrigues Parente, que também elogiou a possível implantação do parquímetro no seu bairro.

Enivaldo lembrou que é, no mínimo, imoral que um presidente de uma entidade comunitária ocupe um cargo de chefia no Governo Municipal, ou vice-versa. “um líder comunitário é uma pessoa que deveria ter independência para cobrar ações do prefeito e não ficar ocupando cargos na prefeitura”, disparou.

Por: Weber Andrade

DSC03907 DSC03908 DSC03909 DSC03912 DSC03913 DSC03915 DSC03919