Deputados solidários com Enivaldo dos Anjos diante de tentativa de intimidação da CPI do Guincho

642

DSC01821Vários deputados estaduais foram ao microfone do plenário Dirceu Cardoso, na sessão ordinária desta quarta-feira (27), manifestar apoio ao presidente da CPI dos Guinchos, deputado estadual Enivaldo dos Anjos (PSD), depois que ele anunciou ter recebido comunicado de que o presidente do Sindicato dos Agentes de Trânsito, Eduardo Amorim, que vai depor na próxima segunda-feira (1º) na Comissão, entrou contra o parlamentar na Corregedoria da Assembleia Legislativa.

“A denúncia dele é de que faltei com o decoro parlamentar ao dizer que, em vez de máfia, o que estava havendo é uma quadrilha do guincho com a participação de agentes de trânsito. Quem disse isso foi o padre Edson Alexandre, quando denunciou os abusos de que foi vítima, mas eu endossei e endosso. Se quiserem me cassar por conta disso, fiquem à vontade. Não vou arredar um passo do caminho que estamos seguindo na CPI para apurar a atuação dessa máfia, que está extorquindo a população”, disse Enivaldo dos Anjos.

A deputada Janete Sá, relatora da CPI, disse que os deputados existem para defender os interesses da população e que a Comissão não vai se intimidar. “Quem tem medo não pode estar aqui. Hoje mesmo os jornais estão estampando decisão judicial condenando os denunciados pelo Ministério Público em ação de improbidade. A CPI já está dando resultados e quem dever vai ser denunciado”, disse Janete.

A parlamentar aproveitou para pedir à sociedade para proteger os deputados e disse que está pedindo à Prefeitura de Vitória para anular todas as autuações e devolver o dinheiro de todos os usuários de vias públicas da capital que tiveram seus carros removidos após a edição do Decreto 16250/2015.

“Esse decreto diz que o usuário que estiver estacionado irregularmente nas áreas de parquímetro em Vitória tem 48 horas para sanar a pendência junto à concessionária”, disse a deputada. O deputado Guerino Zanon (PMDB) disse que “é muito triste quando alguém tenta calar a voz de um deputado que está no exercício de sua liberdade e de seu ofício” e manifestou solidariedade ao deputado Enivaldo dos Anjos.

Na sessão da última segunda-feira (25), da CPI dos Guinchos, o deputado Enivaldo dos Anjos (PSD) chegou a passar a presidência ao deputado Marcelo Santos e dirigir-se à parte externa do plenário Judith Leão para exigir que os guardas municipais, que estava no local armados, fossem identificados e desarmados.

Durante a sessão, estavam depondo três pessoas que se julgavam prejudicadas pelo esquema dos guinchos e também o secretário municipal de Segurança Urbana, tenente-coronel Frônzio Calheira Mota, que foi questionado pelos deputados sobre a legalidade da utilização do serviço de guincho em vez da solução administrativa no estacionamento rotativo.

A presença dos guardas, fardados e portando armas não letais que lhes são permitidas, tinha a nítida intenção de intimidar os deputados e as testemunhas. “Ninguém pode entrar armado na Assembleia”, disse o deputado, que contou com o suporte de um tenente-coronel da Polícia Militar, que acompanha os trabalhos representando o Comando da corporação.