Deputados estão sendo grampeados pelo Guardião, denuncia Enivaldo dos Anjos

448
Deputado estadual Enivaldo dos Anjos
Deputado estadual Enivaldo dos Anjos

O deputado Enivaldo dos Anjos (PSD) denunciou na tribuna da Assembleia, na tarde desta terça-feira (26), que alguns deputados estaduais estariam sendo grampeados pelo sistema Guardião. “É preciso saber qual deputado está sendo grampeado pelo Guardião, e se é por ordem judicial ou pela secretaria de Segurança. Tem deputado aqui que já foi grampeado, isso é uma demonstração clara de falta de respeito com essa Casa.

Ela não pode ter falta de interesse de agir, precisamos fazê-la ser respeitada. Por isso tomamos a atitude de mandar desarmar pessoas que estavam aqui armados durante a CPI dos Guinchos”, afirmou.

O assunto causou reações no plenário. O deputado Gilsinho Lopes (PR) lembrou que a Casa já realizou, no passado, uma CPI para apurar interceptações telefônicas ilegais no Estado. “No relatório final da CPI dos Grampos em 2005 tinha o nome dos responsáveis pelos grampos no Estado. Estamos incomodando grandes interesses econômicos, de policiais e outros. É preciso rigor nessa apuração, senão quando encerrarmos uma CPI vamos ter que abrir outra para investigar essa situação”, protestou Gilsinho.

A Comissão citada por Gilsinho, comandada à época pelo deputado Euclério Sampaio (PDT), não chegou a ter o relatório lido pelos deputados membros do colegiado. O deputado Marcelo Santos (PMDB) sugeriu que o Tribunal de Justiça do Estado seja notificado para saber se há determinação judicial para que os deputados tenham suas ligações interceptadas. “Tendo em vista a grave denúncia, que alcança todos os deputados, que fizéssemos um oficio ao presidente do Tribunal de Justiça para saber se há autorização legal para grampear os parlamentares, e também ao Ministério Público e a secretaria de Justiça”.

O presidente da Assembleia, Theodorico Ferraço (DEM), também condenou o fato. “Não podemos ser vítimas para saber o que se está conversando e discutindo, isso merece apuração rigorosa. Solicito à Comissão de Segurança que tome as providências devidas para apurar as denúncias de Enivaldo. Também vamos tomar as atitudes necessárias”, assegurou.

E acrescentou: “Existem duas formas de se grampear um telefone: direta e indireta. Eu já fui vítima de gravações indiretas e de diretas. Promoveremos uma reunião e tomaremos as devidas providências, para o deputado exercer seu mandato com liberdade e acima de qualquer suspeita”, frisou.

“Blitz”

Enivaldo, que é presidente da CPI da Máfia dos Guinchos, também denunciou represálias ao trabalho do colegiado por parte da Guarda Municipal de Vitória. Ele afirmou que nessa segunda-feira (25), após a sessão da CPI que ouviu representantes da Guarda, o veículo oficial da deputada Luzia Toledo (PMDB) foi abordado por guardas municipais, que mandaram um recado pelo motorista da parlamentar.

Após conferir a documentação do veículo oficial e do motorista, eles pediram para avisar aos membros da CPI da Máfia dos Guinchos, que não há agentes desonestos na Guarda Municipal.

Nessa segunda-feira, o deputado Enivaldo pediu para que os guardas municipais armados que acompanhavam a reunião da CPI se retirassem da Assembleia e voltassem desarmados. Nesta terça, o deputado voltou a criticar a entrada de pessoas armadas na Casa. Para Enivaldo, essa ação tem o sentido de tentar intimidar os participantes da CPI.