Deputado prevê prosperidade para futuro governo do Estado do Espirito Santo

129
Deputado Enivaldo dos Anjos

Em discurso da tribuna da Assembleia, o deputado estadual Enivaldo dos Anjos (PSD) pintou um quadro de otimismo para o futuro do Espírito Santo e que o próximo “governador ou governadora” vai poder aplicar seu plano de ação sem sustos por causa da responsabilidade administrativa “pelo menos dos últimos 12 anos, que coloca o Estado entre os únicos cinco estados de finanças equilibradas no Brasil, ao lado de São Paulo, Santa Catarina, Paraná e Pernambuco”.

“A imprensa de São Paulo relaciona o Espírito Santo entre os cinco Estados brasileiros equilibrados e isso, quando se aproximam as eleições e o encerramento de um mandato, é importante para o nosso futuro. É algo que alegra a população, porque o Estado será repassado ao próximo governador ou governadora em condições de ser administrado, podendo colocar em ação seu programa de governo”, disse Enivaldo.

Ao mesmo tempo, o parlamentar observou: “Temos visto também que em 22 Estados os futuros governantes terão muitas dificuldades para executar aquilo que apresentaram como programa administrativa, principalmente em relação a pessoal e custeio, o que dizer de investimentos. Mas o Espírito Santo, Pernambuco, São Paulo, Santa Catarina e Paraná estão em vantagem”.

Enivaldo lembrou que o Espírito Santo já viveu tempos em que quem se candidatava ao governo não sabia como estava a situação do Estado e, “quando assumia, encontrava um quadro de caos” e salientou que “esse equilíbrio fiscal é importante para continuar a fazer investimentos e atrair recursos nacionais e até internacionais, não sofrendo interrupção no desenvolvimento”.

Por fim, o parlamentar lembrou que, nos próximos dias, a Assembleia votará o orçamento geral que será executado pelo próximo governo, “e é importante que nós, deputados, tenhamos responsabilidade e não ajamos com demagogia, fazendo emendas que dificultem o trabalho do futuro governante”.

“É preciso que a Assembleia dê sua contribuição para que quem assumir possa governar com equilíbrio, tranquilidade e responsabilidade. E que cada capixaba compreenda que preservar esse equilíbrio é fundamental para continuarmos o caminho do desenvolvimento construído nos últimos 12 anos”, finalizou.