Deputado Enivaldo dos Anjos pede respeito do executivo ao legislativo

613
Deputado estadual Enivaldo dos Anjos
Deputado estadual Enivaldo dos Anjos

O deputado estadual Enivaldo dos Anjos (PSD), em discurso na tribuna da Assembleia Legislativa nesta segunda feira, 30/03/2015, rasgou o verbo e desabafou quando foi anunciado que os parlamentares teriam uma audiência na Casa Civil as 17 horas.

“O nosso poder legislativo é tão enfraquecido por essa composição, inclusive, dos funcionários da casa, que a Casa Civil hoje se deu o direito de convidar reunião de deputados na hora de funcionamento da sessão da Assembleia”, disse Enivaldo.

“Porque, que esta reunião não foi convocada para a parte da manhã ou para depois das 18 ou 19 horas”? Desabafa dos Anjos.

“É para submeter o legislativo a condição de ter que parar uma sessão aqui para ir ao Palácio Anchieta. Isso é uma demonstração de falta de respeito com o poder. Porque a Assembleia tem hora para funcionamento, ela funciona das 15 as 18 horas”, avisa o deputado.

“Porque esta convocação da Casa Civil não veio para a parte da manhã ou depois das 18 horas?. “Eu me nego a participar de reunião convocada pela Casa Civil no horário da sessão da Assembleia”, recusa Enivaldo.

“Acho que isso é um desrespeito e que transforma a casa em apenas um atendo, em apenas uma repartição do poder executivo e nos temos que resistir e aqui convoco os deputados militante dos partidos que sempre foram autores das mudanças desse pais, como o Partido dos Trabalhadores (PT), PDT e até o PSDB, que hoje exerce oposição nesse país que levou a uma votação de 51 milhões de brasileiros e que deve assumir essa função de oposição para passar e fazer uma limpeza nesta legislação que estabelece força para um poder e apenas enfraquecimento dos outros”, detona Enivaldo.

“Nos temos que passar a não valorizar o incorreto pelo correto, o deputado Bruno Lamas, que a aqui nesta casa tem autuado de maneira firme e competente fez uma comissão especial para apurar as obras do Estádio Cleber Andrade, as quadras e os Campo Bom de Bola desse Estado e o ex-secretário, Vandinho Leite, arbitrariamente foi para a imprensa fazer acusação ao deputado e o poder tem que reagir”, cobra dos Anjos.

“Quero que a mesa da Assembleia Legislativa, seu presidente reaja quanto ao comportamento desse ex-deputado (Vandinho), que como homem público ele tem que se submeter a fiscalização sim, eu agora deputado, vou querer saber o que aconteceu nas obras do Cleber Andrade, nas quadras e campo Bom de Bola por este Estado a fora”, avisa o parlamentar.

“Pelo desespero que o ex-deputado Vandinho demonstrou eu também agora quero saber, porque somos vítima dessas quadras, desse campo Bom de Bola e todos nos aqui nesta casa fomos”, alerta Enivaldo.

“A onde você ia pedir votos tinha um campo Bola de Bola, tinha um jogo de camisa praticado na maior senvergonhice pelo Estado a fora”, denunciou o deputado.

“Quero propor nos pares aqui, para fazermos, além me dessa comissão, fazer uma CPI para apurar quanto se gastou do Estado e de que maneira se gastou nesse campo Bom de Bola e jogos de camisa, porque hoje fiquei sabendo pela Secretaria de Esporte do Estado que tinha uma licitação “Guarda Chuva”, disse o parlamentar.

“Pela quantidade de material esportivo que quisesse era só pedir ao ex-deputado Vandinho Leite que ele mandava entregar na comunidade. Na minha comunidade (Barra de São Francisco), entregou uns 100, mesmo assim, nos estamos levantando tudo que foi feito porque essa comissão poderia se transformar em uma CPI”, cobra Enivaldo.

“A imprensa as vezes fica incomodada pela quantidade de CPI, não sei o que a imprensa quer, que acobertas as coisas, que não apure, e ainda fica dizendo que eu estou atirando para todos os lados, eu atiro sim, minha metralhadora não tem direção, porque eu não sou comprometido com ninguém, ela atira assim mesmo, é rodando”, disse o deputado.

“É para pegar os safados, os ladroes, porque quem direciona metralhadora é porque está a serviço de alguém, e aqui nos vamos ouvir Desembargador, Ministério Público Federal, Estadual, juiz, vamos ouvir todo mundo sim, todo mundo que recebe recursos públicos tem que prestar contas”, cobra Enivaldo.

“Não tem ninguém que tem direito a dizer que eu sou sério e que os outros são ordinários. Só não sabem isso quem nunca passou por perseguição politica e tem muita gente ai que se apossa de um cargo publico para perseguir as pessoas”, reclama Enivaldo.

“Para prender pessoas, inclusive, que nem tiveram participação numa apuração que foi feita. Aqui nesta casa um deputado desde que sofreu punição da justiça sem nem ter assinado contrato com uma empresa que foi acusada de ter perseguido. Então, quero convocar essa casa para reagir, para mostrar que este poder tem tanto valor quanto os outros poderes”, disse Enivaldo.

“Todos tem que prestar conta, custe o que custar, ninguém é livre de prestar conta a opinião pública”, encerra Enivaldo.