Deputado Enivaldo desafia secretário da prefeitura de Barra de São Francisco a provar denúncias

1522

Na quarta-feira, dia 15/04/2015, Enivaldo dos Anjos vai entregar, publicação, procuração a Adilton e a site com prazo para apresentar provas.

Enivaldo dos Anjos vai estar em Barra de São Francisco, nesta quarta feira
Enivaldo dos Anjos vai estar em Barra de São Francisco nesta quarta feira

O deputado Enivaldo dos Anjos (PSD) está convocando a população de Barra de São Francisco para presenciar a entrega de uma procuração ao secretário municipal de Indústria e Comércio, Adilton Gonçalves, que declarou a um site da cidade que pode provar que o parlamentar é dono ou sócio de empresas que prestam serviços à Prefeitura do município.

A mesma procuração será dada ao site, que deu voz ao secretário e não ouviu o parlamentar sobre o assunto, dando-lhes poder para, num prazo de 30 dias, conseguirem provar o que disseram contra Enivaldo dos Anjos. Em contrapartida, ao final desse prazo, se não conseguirem provar, o deputado vai processar o secretário e o site “na forma da lei”.

A entrega da procuração será feita nesta quarta-feira, 15 de abril, às 19 horas, na Câmara Municipal de Vereadores de Barra de São Francisco. Em comunicado enviado a seu círculo de amigos e eleitores, o deputado Enivaldo dos Anjos se disse surpreso com a afirmação do secretário Adilton. “Certamente, há outras intenções por trás dessas declarações, ou talvez o sr. Adilton esteja sendo usado por alguém incomodado por minha atuação parlamentar. Mas vou dar aos meus detratores a oportunidade de provarem que estão falando a verdade. Convido toda a população de Barra de São Francisco a comparecer a esse momento e espero que o secretário e o responsável pelo site também apareçam”, disse o parlamentar.

Ainda de acordo com Enivaldo dos Anjos, “se conseguirem provar que sou sócio ou dono dessas empresas, vou doar aos funcionários das empresas, que dizem ser minhas, todo o crédito que elas possuem na administração municipal, acompanhado de renúncia a esses contratos. Mas, se não provarem, vão responder criminalmente pela calúnia”. O site que publicou a afirmação do secretário será, também, responsabilizado por não ter dado ao deputado o direito de se manifestar.

“Vai ser um momento da verdade contra as fofocas, porque quem é que vai acreditar que sou sócio ou dono de uma empresa que presta serviços para a administração de um adversário político meu? Todo mundo sabe como foi o processo político-eleitoral em 2012”, finalizou.