Deputado do Norte diz que a Eco 101 mente e a ANTT é “agência fajuta”

1056

Ao participar da sessão da Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa, na manhã desta terça-feira (29), quando foram ouvidos dirigentes do Consórcio Eco 101 e da agência reguladora do Governo Federal, o deputado estadual Enivaldo dos Anjos (PSD) perdeu a paciência com os depoentes – José Carlos Cassaniga, presidente da Eco 101, Roberto Paulo Hanke, diretor superintendente da empresa, e Sérgio de Assis Lobo, da Agência Nacional de Transportes Terrestre.

“O que eu expresso aqui é a indignação do povo capixaba. Esse consórcio não tem responsabilidade e nem credibilidade, assumiu um contrato que não tem capacidade de cumprir e vem com propostas ridículas, de não fazer a duplicação da BR 101, de reduzir serviços, abusando da população. Se a ANTT não leva dinheiro dessa gente, tem que afastar esse consórcio e chamar o segundo colocado na concorrência para fazer o que precisa ser feito na BR 101”, disse Enivaldo.

Sem fazer perguntas, alegando que não acredita nas respostas dos depoentes, Enivaldo dos Anjos chamou a ANTT de “agência fajuta, que faz negociatas com empresários ordinários” e ligou a ECO 101 ao mesmo consórcio que explora o pedágio da Terceira Ponte, ligando Vitória a Vila Velha, e na Rodovia do Sol.

“O Espírito Santo precisa ser respeitado. Esse consórcio é o mesmo que explora a Rodovia do Sol e não tem a capacidade de colocar uma simples tela na ponte para evitar suicídios. É um consórcio enrolado, sem caráter, de empresários que a Lava Jato está revelando quem são eles. Admiro que a ANTT esteja protegendo o capital contra a população. Está na hora da desobediência, de passar direto pelas catracas, sem pagar pedágio”, desabafou o deputado.

Questionado pela Comissão, o superintendente Roberto Paulo Hanke confirmou que um dos sócios do empreendimento é o consórcio Centaurus e relacionou as empresas capixabas que compõem o grupo: Coimex, Viação Águia Branca, Tervap, Arariboia, A. Madeira e Contec.

Para o deputado, o presidente da ECO 101 omite informações e inverte valores ao dizer que já investiu R$ 880 milhões na rodovia BR 101 e só arrecadou R$ 550 milhões, por isso solicitou à Comissão que solicite à ANTT informações oficiais sobre a arrecadação das sete praças de pedágio na BR 101 no Espírito Santo, bem como a contrapartida, desde maio de 2014, quando o consórcio assumiu a concessão da rodovia.

A Comissão de Defesa do Consumidor, presidida pelo deputado Euclério Sampaio (PDT), aprovou a solicitação. O deputado Da Vitória (PDT) anunciou uma ação civil pública para pedir a rescisão do contrato de concessão da BR 101 ao consórcio ECO 101 e a Comissão aprovou a convocação dos presidentes das seis empresas capixabas que integram o consórcio Centaurus para depoimento no dia 26 de setembro.