Crise hídrica deixa vereadores preocupados em todo o Estado

471
Vereadores Mulinha e Dengue marcaram presenças
Vereadores Mulinha e Dengue marcaram presenças

A crise hídrica que vem assolando o Espírito Santo, de norte a sul, foi um dos temas mais debatidos ontem, dia 1º/10/2015 à tarde, na assembleia Legislativa (Ales) durante o Fórum de Vereadores Capixabas, criado pelo deputado Enivaldo dos Anjos (PSD) para debater a crise econômica nacional e as políticas do Estado.

A falta de água já está atingindo vários municípios da região norte, como Barra de São Francisco, Pancas, Alto Rio Novo, Águia Branca, Mantenópolis e Água Doce do Norte. O presidente da Câmara de Vereadores de Pancas, Valdeci Basto (PSL), o Nenego, reclamou do problema e pediu atenção especial do deputado Enivaldo dos Anjos para a Barragem de Lajinha, distrito de Pancas que está praticamente sem água para abastecer a comunidade.

“Embora o Governo do Estado tenha dinheiro em conta, a licitação ainda não foi feita. Se recurso não é problema, se o projeto não é o problema, o que está faltando, o povo de Lajinha e de Pancas morrer de sede?”, indagou.

Na mesma linha, a vereadora Maiane Lino de Barros (PSDB), de Alto Rio Novo, pediu uma agenda para que os municípios da região pudessem repassar diretamente à Cesan os problemas hídricos da região. O vereador Amarildo Frankoviaski, de Águia Branca já havia reclamado do problema em outras reuniões de vereadores que vêm acontecendo no interior.

“Estou preocupado com a questão da seca, a falta de água. Precisamos de ajuda para obter licença mais rápida para a construção de barragens e também a liberação de horas/máquina para fazer o serviço”, reivindicou.

José Prata Filho (PMDB), vereador de Mantenópolis, também reclamou da seca na região. Segundo ele, não há ações para proteger a nascente do rio São José, importante fonte local de recursos hídricos.

Os vereadores de Barra de São Francisco, Wilson Pinto das Mercês, o Mulinha (PTB) e Carlim da Dengue (Pros) também fizeram coro aos colegas da região, alertando para a grave situação do rio Itaúnas, que abastece praticamente toda a população francisquense da Sede e dos distritos de Vargem Alegre e Cachoeirinha de Itaúnas.

Mulinha disse que a seca na região é grave e que em distritos como Vila Paulista, a água já está sendo racionada e o abastecimento feito com caminhões-pipa. Ele disse que produtores fecham o rio prejudicando os vizinhos.

Tanto ele como Carlim da Dengue denunciaram a Companhia Espírito-Santense de Saneamento (Cesan) que, segundo eles, cobra taxa de esgoto, mas ainda o despeja no rio. Carlim da Dengue disse que a Cesan não fez nada para a preservação da água do rio Itaúnas. “E agora o culpado é o produtor”, questionou.

Recursos

O deputado Enivaldo dos Anjos disse que o governo do Estado acabou de assinar convênio de R$ 1 bilhão com o Banco Mundial para, entre outras ações, recuperar rios e nascentes e implantar o tratamento de esgoto e disse que os vereadores devem se mobilizar para conseguir que parte desses recursos cheguem às suas cidades.

Por: Weber Andrade