CPI dos Guinchos e da Sonegação foram prorrogadas pela Ales até o ano que vem

457

500A CPI da Máfia dos Guinchos foi prorrogada por mais um ano e poderá até o final de 2017. A transposição da CPI atendeu a requerimento do presidente da comissão, deputado Enivaldo dos Anjos (PSD), (foto), que também ampliou o foco das investigações.

Agora, a CPI também apurar assuntos relacionados à chamada Máfia dos Táxis, que seria formada por pessoas que administram várias permissões de táxis na em Vitória, o que não é permitido.

O plenário da Assembleia Legislativa (Ales) aprovou também, na sessão ordinária desta terça-feira, 10/05/2016, a transposição da CPI da Sonegação que agora, além de apurar sonegação de impostos por parte de grandes, médias e pequenas empresas, vai investigar o vazamento ilegal de grampos telefônicos. A CPI da Sonegação também é presidida por dos Anjos.

“É uma mera questão de adequação ao regimento, que impede a investigação de assuntos que já não estejam contemplados na proposta inicial”, informa Enivaldo, autor dos requerimentos de transposição e ampliação das CPIs. Os dois requerimentos foram aprovados por unanimidade.

A CPI da Sonegação, com as novas atribuições, também terá poder de investigar denúncias quanto ao funcionamento de indústrias poluidoras sem licenciamento ambiental, inobservância de teto remuneratório constitucional nos poderes do Estado; pagamento de auxílio-moradia sem lei específica e cobrança abusiva por parte de cartórios.

MINISTÉRIO PÚBLICO

Nesta terça-feira (10), o plenário da Ales deverá votar o pedido de criação de uma Comissão Especial para investigar o excesso de cargos comissionados em poderes e órgãos públicos do Estado. A criação da comissão, pedida por Enivaldo dos anjos, vai investigar, inclusive, o Ministério Público Estadual (MP-ES). “Agora é para todos, mas o MP-ES vai ser investigado também”, salienta Enivaldo, que já tinha abordado o assunto em 2015.